Assim como Ra√≠, executivo de futebol do S√£o Paulo, j√° se mostrou cr√≠tico ao governo do presidente da Rep√ļblica, Jair Bolsonaro (sem partido), durante a pandemia do novo coronav√≠rus, o t√©cnico Fernando Diniz lamenta o que considera como briga pol√≠tica acima dos interesses do povo e declara que todos os governantes deveriam ter voca√ß√£o para a carreira e a preocupa√ß√£o com a popula√ß√£o mais necessitada.

Em entrevista ao programa Os Canalhas, com os jornalistas Jo√£o Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana, o treinador do Tricolor paulista afirma que se entristece por ver uma falta de rumo no Brasil atualmente ao mesmo tempo em que se preocupa com a Covid-19.

“Triste por conta da pandemia e triste por conta tamb√©m da nossa falta de rumo, √© uma briga pol√≠tica acima dos interesses do povo, das pessoas. Ent√£o, isso √© uma coisa que me desagrada muito a gente ficar abaixo da m√©dia”, afirma Diniz.

Psic√≥logo de forma√ß√£o, o treinador n√£o direciona sua cr√≠tica a um pol√≠tico espec√≠fico, mas declara que todos deveriam colocar os interesses da popula√ß√£o acima de suas pr√≥prias disputas pol√≠ticas, assim como tamb√©m ressalta a import√Ęncia de temas como o combate ao racismo.

“Eu acho que as pessoas que governam o pa√≠s, os Estados, os munic√≠pios, quem vai para essa carreira, eu acho que pelo menos tinham que ser pessoas muito vocacionadas, porque quem est√° nessa posi√ß√£o tem que estar l√° para governar para o bem-estar da popula√ß√£o. O que eu espero de todos os governantes √© isso, que as pessoas tenham um olhar para aquilo que √© melhor para o povo, independente do partido que esteja l√°”, afirma Diniz.

“O Estado tem que ser dirigido para as pessoas que mais necessitam. Ent√£o, a gente tem uma falha estrutural como cultural e isso desde a forma√ß√£o do pa√≠s. A gente vai pegar a hist√≥ria da forma√ß√£o do nosso povo, √© uma hist√≥ria cheia de buracos, a hist√≥ria da escravid√£o √© uma muito forte, √© uma d√≠vida que a gente vai levar um tempo para pagar, n√£o adianta voc√™ querer achar que n√£o tem porque tem, √© s√≥ voc√™ ver. E a√≠ tem um reflexo na sociedade, ent√£o, as pessoas est√£o a√≠ e a gente precisa abrir oportunidades”, conclui o treinador.

UOL