O futebol brasileiro já estava em uma situação complicada e piorou ainda mais com a pandemia do coronavírus, os times que já não conseguiam honrar seus vencimentos pioraram a situação e foram obrigados a diminuir os salários de jogadores e funcionários do clube. O Estadão trouxe um estudo da Ernst & Young onde um dos responsáveis pelo estudo, Alexandre Rangel, fez um alerta para os clubes brasileiros.

A bola não rola no futebol brasileiro há cerca de três meses e a situação não tem data para retornar e mesmo no retorno tudo ainda não voltará ao normal, já que os clubes não poderão contar com a renda da torcida e outras importantes receitas.

Diante disso, um estudo da consultoria Ernst & Young apontou que a crise do coronavírus trará ao futebol brasileiro um prejuízo de cerca de R$ 2 bilhões, mais precisamente R$ 1,92 bilhão.

“Poucos clubes vão ter condições financeiras de se apresentar de forma digna. Vários vão ter problemas sérios. Na prática a pandemia não mudou nada, mas apenas acelerou processos. Quem já estava mal, piorou mais rápido”, disse ao Estadão um dos responsáveis pelo estudo, Alexandre Rangel.

Futebol no Brasil

O retorno do futebol no país ainda é incerto. Alguns grandes clubes do cenário nacional já voltaram a treinar, porém, com muitas incertezas. A única Federação que até o momento bateu o martelo para o retorno do Estadual foi a Catarinense que definiu a volta para o dia 8 de julho.

Torcedores.com