Em abril do ano passado, o São Paulo anunciou a contratação de Vitor Bueno, que estava jogando pelo Dínamo de Kiev, da Ucrânia, e chegou emprestado pelo Santos. E o acerto já era esperado pelo meia-atacante há muitos anos. Em entrevista ao canal oficial do Tricolor, ele contou que sempre imaginou que um dia defenderia as cores do clube do Morumbi.

“Eles (família) sabem, eu sempre falei que sentia que um dia jogaria no São Paulo. Eu sempre fazia gol contra o São Paulo na base, meu primeiro gol como profissional também foi contra o São Paulo, o estilo da camisa do Botafogo-SP (clube pelo qual foi revelado) é parecido… Foi engraçado quando eu acertei porque minha mãe me ligou e disse: ‘bem que você falava’. Era um sentimento que eu tinha lá atrás e acabou acontecendo”, declarou o jogador de 25 anos.

Vitor Bueno está no São Paulo desde abril de 2019, quando foi emprestado pelo Santos

Vitor Bueno também falou sobre a fase do Tricolor Paulista antes da paralisação do futebol devido à pandemia do novo coronavírus. Segundo ele, o time vinha em evolução, mas ainda não havia atingido seu potencial máximo sob o comando do técnico Fernando Diniz.

“Eu acredito que vínhamos em uma crescente muito boa, que, com certeza, iria evoluir ainda mais. O time tinha encontrado um padrão que o professor pede, que ele queria desde que chegou. Mas acredito que ainda não estávamos no nosso auge. Quanto mais jogarmos juntos, mais confiança vamos ter e mais nosso desempenho vai melhorar”, disse.

O camisa 12, que vem jogando aberto pelo lado esquerdo do ataque, ainda comentou seu posicionamento na equipe são-paulina. Ele contou que prefere atuar exatamente onde vem sendo escalado e explicou que Diniz o dá “muita liberdade” para se movimentar no campo.

“Eu já tinha jogado nessa posição, mas do outro lado, pela direita. Só que eu sempre preferi jogar por esse lado (esquerda). Como sou destro, gosto de cortar para dentro e achar um companheiro ou finalizar. E o professor me dá muita liberdade, ele fala que eu posso estar onde eu quiser no campo, mas sempre com responsabilidade. Estou contente por ter tido uma sequência e por ter conseguido demonstrar o meu futebol em uma posição que eu sempre quis jogar. E com a liberdade e confiança que o professor me dá, eu só tenho a melhorar e crescer com meus companheiros”, completou.

Com o bom desempenho apresentado no ano passado, Vitor Bueno foi contratado em definitivo ao fim da temporada, após ser envolvido em troca com o Santos pelo atacante Raniel. Em 2020, ele é o líder de assistências do time, com quatro em dez jogos disputados.

Terra