Enquanto em outros Estados já há clubes de futebol treinando, os quatro grandes clubes de São Paulo mantêm pacto com a Federação Paulista de Futebol para que o retorno seja em conjunto somente após a liberação dos órgãos competentes. Somado a isso, há um protocolo de segurança que inclui testes nos jogadores de todos os times em acordo e o confinamento em um período prévio aos jogos antes da retomada do futebol, paralisado desde março devido à pandemia do novo coronavírus.

O jornalista Arnaldo Ribeiro analisa a forma como os clubes estão comprometidos e afirma que o modelo adotado pelos paulistas pode ser semelhante ao que foi feito na Alemanha, primeira grande liga que voltou a ser disputada na Europa.

“Semana passada, fechou um convênio a federação com o Hospital Albert Einstein de permissão de testes de todos os jogadores dos 16 clubes envolvidos no Campeonato Paulista sendo testados por uma mesma instituição, o que está previsto no protocolo paulista de isolamento nos centros de treinamento respectivos. Não tem essa de sair para passear na praia de bicicleta, cada clube vai para o seu centro de treinamento e vai ficar lá mais de um mês internado, testando direto, essa é a condição”, afirma Arnaldo.

“Todo mundo quando voltar, depois de dois meses de quarentena, em suas respectivas casas, vai para um centro de treinamento e vai ficar ‘internado’, isolado para poder voltar a jogar de uma forma segura, antes do tempo previsto, como foi feito na Alemanha, basicamente. São Paulo está tentando replicar o que foi feito na Alemanha sem a pressa de outros Estados. Talvez dê certo, porque para voltar a bola, sabe-se lá quando teremos as mínimas condições”, completa o jornalista.

Arnaldo cita também que o único clube entre os 16 que disputam o Campeonato Paulista que pode quebrar o acordo é o Red Bull Bragantino, recém-promovido à primeira divisão e líder do Grupo D, o mesmo do Corinthians, antes da parada do futebol. “Tem uma instituição internacional por trás e esse individualismo é que nos ferra, porque o Red Bull Bragantino, novo rico do futebol brasileiro, tem condição aqui de fazer a sua bolha e voltar sozinho, para jogar ele mesmo. No centro de treinamento, vai ficar jogando ele contra ele. E os caras vão para cima do Red Bull Bragantino. Se o Red Bull Bragantino quiser furar o pacto, os grandes vão”, conclui Arnaldo.

UOL