Foi sob o comando do técnico Cuca que Walce realizou sua estreia no time profissional do São Paulo, em maio do ano passado, no empate em 1 a 1 com o Flamengo, no Morumbi. Improvisado na lateral direita, o jogador revelado em Cotia, que é zagueiro de origem, superou as expectativas, apesar da pouca experiência.

Walce iniciou a partida como lateral-direito, porém, no decorrer do duelo, exerceu a função de volante e apenas no final do jogo passou a atuar como zagueiro, nada que tenha abalado sua confiança, apesar do ‘frio na barriga’ normal por se tratar de uma estreia.

“Minha estreia foi boa, soube aproveitar minha oportunidade, fiz o melhor que pude diante das circunstâncias, de ser um jogo grande, contra o Flamengo, estádio cheio. Todo mundo pensava que eu poderia entrar em uma furada, mas, quando a gente faz parte do elenco profissional, temos que estar preparados. A gente se prepara a cada dia, independentemente de ser novo ou mais experiente. Graças a Deus, tive essa oportunidade, fui muito feliz, tive até uma sequência de três jogos depois da minha estreia e fui bem também”, relembrou Walce em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva.

Após o empate com o Flamengo, Walce ainda atuou por 90 minutos na rodada seguinte, contra o Fortaleza, fora de casa, contra o Bahia, no Morumbi, e também na derrota por 1 a 0 no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, novamente contra o Bahia, em casa. Depois disso, porém, ele não teve mais chances com o técnico Cuca, que, diante de um momento mais complicado, preferiu optar por jogadores mais ‘cascudos’.

“Não me magoou ter saído, porque é normal, sou um jogador novo. Querendo ou não, estava em um elenco que ainda estava sendo montado, estava sendo criado um formato pro time. Nos jogos que estavam pra se decidir um time, ele optou por colocar outro jogador. Ele me explicou da circunstância, o que os próximos jogos poderiam trazer, explicou que exigiria um pouco mais de um jogador que tinha experiência. Falei que estava do lado dele, que queria o que fosse melhor para o São Paulo. Nada que tenha me chateado”, completou.

Atualmente, Walce se recupera de uma lesão ligamentar no joelho esquerdo. O zagueiro conta com o acompanhamento remoto dos profissionais do São Paulo, através de ligações de vídeo e mensagens, e do seu irmão, que é estudante de fisioterapia. Isolado com a família em Indaiatuba, no interior do estado, ele vive a expectativa de poder voltar aos gramados no segundo semestre.

Gazeta Esportiva