Desde que chegou ao São Paulo, em setembro de 2019, o técnico Fernando Diniz já ouviu muitas críticas pelo seu trabalho, principalmente dos torcedores, que questionavam a falta de resultados. Entretanto, dentro de campo, os jogadores seguem outra linha de pensamento.

Para o experiente meia Hernanes, o comandante é um exemplo a ser seguido. Segundo ele, Diniz apresenta uma filosofia totalmente diferente da que os atletas estão acostumados no Brasil.

“Aprendi bastante. Uma coisa bem simples: a coragem que ele tem para jogar. Para mim ele é um treinador completo, com todas as competências que um treinador, no meu modo de ver, deveria ter. A coragem que ele tem de executar aquilo que acredita. Gosto de dar exemplos simples para evidenciar o que estou falando. Quando aqui no Brasil, principalmente, vamos marcar, qual é a tendência natural do time? É voltar todo mundo para trás, proteger a área e esperar o time fazer o ataque. E ele não”, explicou ao Globoesporte.com.

O camisa 15 tricolor ainda revelou alguns bastidores da estreia do técnico, diante do Flamengo, um time quase imbatível no Maracanã, que mais tarde viria a ser campeão brasileiro, mas que o São Paulo conseguiu segurar um empate de 0 a 0.

“No primeiro jogo, ele falou a coisa mais legal que faz toda a diferença. Tinha a linha do meio de campo e a linha dos zagueiros. Quando o atacante do Flamengo recebia a bola na linha do meio-campo, nossos zagueiros se afastavam correndo para proteger a área e o gol. Ele disse: ‘Não, conversa. Vocês correm cinco metros para frente ao invés de correr 50 metros pra trás’. É um movimento tão simples, de enxergar o jogo e ter coragem, mas é uma coisa contra instintiva. O instinto faz o quê? Proteger o gol, proteger a área. E ele não. Falava: ‘Avança’. Essa coragem poucas vezes encontrei nos outros treinadores”, finalizou.

Enquanto ainda não há uma previsão de retorno aos treinamentos, Fernando Diniz vai comandando o seu elenco por meio de videochamadas.

Gazeta Esportiva