O estádio Cícero Pompeu de Toledo é um dos mais icônicos do país. Caso do São Paulo, ele leva o apelido de Morumbi pela região da capital paulista em que está localizado. Contudo, o plano inicial da diretoria do clube era para que o complexo fosse construído ao lado de onde hoje existe o Parque do Ibirapuera.

A ideia de construir um estádio para o São Paulo começou por volta de 1950. Nessa época, a região que hoje é conhecida como Morumbi era totalmente desabitada. Portanto, primeiro surgiu a concepção de erguer o estádio na região do Ibirapuera, já que era bem perto do centro e, por isso, faria mais sentido.

Porém, o prefeito de São Paulo na época, Jânio Quadros, não concordou com a proposta. Isso fez com que a diretoria começasse a pensar em outro lugar para a construção. Enquanto isso, a Imobiliária Aricanduva comprava lotes de terra na região do Morumbi e, também, iniciava um plano para estimular a região, uma vez que pela inexistência de pessoas vivendo lá, carecia de serviços básicos que não faltam em bairros centrais da cidade.

Logo, o casamento entre o Tricolor e a imobiliária foi perfeito: o São Paulo queria um grande loteamento para ter um estádio de grandes proporções e a dona das terras queria uma forma de atrair pessoas para a região. E nada melhor que um dos times mais populares da cidade para isso.

Então, depois de conseguir um empréstimo de 5 milhões de cruzeiros, o São Paulo adquiriu um terreno de 99.873 metros quadrados junto com a imobiliária em 4 de agosto de 1952. A partir daí, começou um verdadeiro esforço da diretoria e da comissão de construção do estádio para financiar as obras. Às vezes até o próprio elenco de futebol do clube era deixado em segundo plano para priorizar a construção.

A inauguração parcial do estádio se deu em 1960, mas a obra só foi realmente concluída em 1970, sendo entregue no dia 25 de janeiro, aniversário da cidade de São Paulo. Da compra do terreno até a finalização foram quase 18 anos.

Gazeta Esportiva