Por conta da pandemia, os presidentes dos quatro maiores times de São Paulo juntaram forças nos últimos dias, com a finalidade de discutir medidas a serem tomadas para enfrentar a crise financeira, devido a paralisação do futebol, que não tem previsão de volta no estado paulista.

Os presidentes Andrés Sanchez (Corinthians), Leco (São Paulo), José Carlos Peres (Santos) e Mauricio Galiotte (Palmeiras), realizaram uma reunião virtual para tentar chegar em um acordo sobre a redução salarial dos jogadores. Pois eles avaliam que terão mais chances do “plano” dar certo, caso os clubes trabalhem em conjunto, um único conceito para os quatro times.

Até o momento, os clubes agiram individualmente. Confira as medidas que foram tomadas pelos clubes até agora:

– Corinthians: redução de 25% dos salários dos jogadores em maio. A medida foi tomada em acordo comum com os atletas.

– Palmeiras: diminuição de 25% nos pagamentos dos atletas em maio e junho. A medida foi tomada em acordo comum com os jogadores.

– Santos: corte de 70% nos meses de abril, maio e junho, com pagamento de metade do valor descontado no futuro. A medida foi imposta, sem concordância dos atletas.

– São Paulo: pagamento de metade (50%) dos vencimentos em carteira e suspensão dos pagamentos de direito de imagem. A redução foi imposta mesmo sem os jogadores aceitarem.

Todos os presidentes se queixaram das dificuldades financeiras, principalmente Andrés Sanchez e José Carlos Peres, que estão com inúmeras dividas para serem quitadas por Corinthians e Santos, respectivamente.

Com futuro incerto, os clubes paulistas preveem dificuldades mesmo com volta das competições, e querem se preparar para eventuais novos cortes, com a finalidade de manter equilibrado o balanço financeiro dos times. Os presidentes querem construir uma estratégia juntos para enfrentar a crise, tanto que os quatro times de São Paulo estão alinhados em relação a retomada dos campeonatos e dos protocolos de saúde a serem seguidos.

Joga10News