São Paulo é o 14º entre 766 clubes avaliados que mais trocaram de técnico desde 2015. O levantamento foi feito pela entidade suíça Cies (Centro Internacional de Estudos do Esporte na sigla em Francês). O estudo abrange 84 ligas diferentes.

Dentro do período avaliado, o clube do Morumbi teve 12 treinadores que comandaram o clube por ao menos três partidas – parâmetro estabelecido para filtrar interinos.

Cada técnico no São Paulo manteve-se por 15,7 jogos empregado em média.

Juntamente com o pequeno Cerro, do Uruguai, e o Cerro Porteño e o Nacional do Paraguai, o São Paulo é o único clube de ligas de países que já foram campeões mundiais de seleções ou clubes a figurar no Top 20.

Como companheiros nesse incômodo ranking o tricampeão mundial tem ainda o Real Potosí, Kairounaise, da Tunísia; Rio Negro Águilas, da Colômbia; e o Kabylie, da Argélia, entre outros.

O número do São Paulo é muito superior à média do Campeonato Brasileiro. De acordo com mesmo estudo, os clubes nacionais da Série A tiveram, em média, 5,3 técnicos cada desde 2015.

O Potosí, que teve 20 técnicos no período, foi o clube com mais comandantes diferentes desde 2015, de acordo com o estudo. Muito puxada pelo seu clube mais conhecido, a Liga Boliviana tem a pior média mundial, com 9,1 técnicos por clube.

ESPN