“Diniz é um técnico barato e conveniente para o São Paulo” diz jornalista

O São Paulo tem eleições programadas para este ano, com Julio Casares e Marco Aurélio Cunha aparecendo como possíveis candidatos na sucessão a Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, e os dois presidenciáveis no clube do Morumbi deram declarações favoráveis em relação à permanência do técnico Fernando Diniz.

O jornalista Arnaldo Ribeiro analisa a situação de Diniz, que pode se garantir no cargo, independentemente de quem vença a eleição, e que também tem apoio de outras personalidades importantes ligadas ao clube, como Muricy Ramalho e até Rogério Ceni, técnico do Fortaleza, mas que elogia o atual comandante do time paulista. Mas Arnaldo também ressalta que é preciso considerar que a falta de jogos não dá tanta consistência a esse apoio dos dirigentes.

“É muito conveniente para os candidatos ou pré-candidatos elogiarem o Fernando Diniz neste momento. O time não está jogando, quando parou o Fernando Diniz estava em alta, e tem uma questão sim de a gente perceber da relação boa do Fernando Diniz com os jogadores e com todos os funcionários do São Paulo, e uma questão ali que está passando despercebida que é o tal do custo-benefício, o Fernando Diniz para os padrões atuais é um técnico barato.

O Mauro [Cezar Pereira] estava falando das dificuldades de renovação do Jesus [no Flamengo], a gente observa o Renato [Gaúcho] no Grêmio, o [Vanderlei] Luxemburgo no Palmeiras, o Fernando Diniz é um técnico ‘barato’ para o momento, conveniente para o momento do São Paulo, que também é muito difícil em termos econômicos”, diz Arnaldo.

“É interessante bancá-lo, só que a bola vai voltar a rolar daqui algum tempo, com portões fechados e tudo mais, e esses resultados vão poder comprovar se ele continua, de fato, com prestígio, ou não, do próximo candidato à presidência do São Paulo”, completa o jornalista.

Rogério Ceni também elogia Fernando Diniz

Arnaldo destaca a importância do apoio de Rogério Ceni por considerar que o ex-goleiro seria um candidato à vaga de Diniz com o fim da gestão de Leco, responsável pela demissão de Rogério em 2017.

“Bancando o Fernando Diniz além dos dois conselheiros, no discurso estão os jogadores do São Paulo, o ex-técnico Muricy Ramalho, que tem muito peso na sua opinião, falando bem do Fernando Diniz desde o início do ano, e até curiosamente o Rogério Ceni, numa entrevista que deu para a gente”, afirma o jornalista.

“Rogério Ceni, em tese, seria o fantasma do Fernando Diniz, o cabo eleitoral mais simples tanto do Casares, quanto do Marco Aurélio, quanto de qualquer candidato. E quando o Rogério Ceni vem, conversa conosco e fala que o trabalho do Fernando Diniz é excepcional e que ele é um técnico muito bom e que ainda vai dar muitas alegrias à torcida do São Paulo, se o próprio Rogério Ceni diz isso, de fato, o Fernando Diniz está naquele momento encantado, mesmo que o time dele não esteja jogando”, finaliza o colunista do UOL.

Defesa ao técnico permanece em caso de derrotas?

Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira reforçam que o apoio de Casares e Cunha a Diniz pode acabar assim que houver uma sequência de resultados ruins quando os jogos voltarem a acontecer.

Tome uma chapuletada nas quartas de final do Paulistinha, o que pode acontecer, isso já não é tão assim. Aí começa o Brasileirão e não vai bem, tem a eleição, já muda o discurso”, diz Juca. “Se os dois, o candidato e o provável candidato falam que vão manter o técnico, é porque o momento do técnico é positivo, então por que alguém vai falar que vai tirar o técnico? A questão é, se amanhã o São Paulo estiver mal, eles vão sustentar essa posição? É provável que não”, afirma Mauro Cezar.

UOL

Um comentário

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!