São Paulo de 1992 e 1993 mudou percepção de brasileiros com a Libertadores

A Libertadores nunca foi tão desejada pelos clubes brasileiros como nos últimos 30 anos e um time foi muito importante para essa mudança de pensamento. As conquistas do São Paulo em 1992 e 1993 acenderam uma vontade inexistente até então e que hoje é um dos principais atrativos para disputa de Copa do Brasil e uma boa campanha no Brasileirão.

Quando o São Paulo ganhou a primeira Libertadores em 1992, muitos outros times já haviam conquistado a competição. Santos em 1962 e 1963, Cruzeiro em 1976, Flamengo em 1981 e Grêmioem 1983 haviam desbravado os países e conseguido voltar com os troféus na mala. No entanto, a competição ganhou um novo rosto após o bicampeonato paulista consecutivo.

O time que envolveu Barcelona e Milan no Mundial de Clubes mostrou para todo o Brasil que ser campeão de um torneio continental seria interessante e poder ganhar um adversário tão importante seria ainda melhor. Em ambas as conquistas da Libertadores, o São Paulo teve um time muito competitivo e que peitou adversários de peso nas conquistas como o Nacional e Newell’s Old Boys na primeira conquista e Flamengo e Cerro Porteño na segunda.

Apesar de times históricos terem conquistado o campeonato antes do São Paulo como o Santos de Pelé, o crescimento do desempenho dos times sul-americanos era ainda maior a cada ano. Com isso, a façanha passou a ser objeto de desejo para os clubes em geral por entenderem que a dificuldade era algo a ser desafiado para chegar ao mesmo nível.

Outro fator que mudou a partir do bicampeonato do São Paulo foi o prestígio conquistado. O Tricolor ganhou repercussão nacional e internacional com o feito que gerou um estranhamento dos torcedores brasileiros. A cobrança para disputar a Libertadores superou alguns objetivos como ganhar um estadual ou até uma competição com a Copa do Brasil.

Disputar uma Libertadores passou a ser tão importante aos adversários que com o tempo, os 20 times que chegavam a competição aumentaram para 32 e atualmente chegaram em 47 equipes. O tempo também de disputa ganhou um maior espaço no calendário e agora ocupa toda a temporada sul-americana. Depois do bicampeonato do São Paulo, Vasco, Palmeiras, Corinthians, Atlético-MGFlamengoCruzeiro e Santos conquistaram uma vez e a dupla grenal faturou mais duas vezes cada. O Tricolor ainda viria a levantar mais um troféu em 2005 com Paulo Autuori no comando.

Torcedores.com

4 comentários

  1. Foi da hora mesmo hein.
    Foi um momento mágico.
    Eu na época, 91, 92, 93, eu tinha 7, 8, 9 anos de idade.
    Poucas crianças vão ter o gostinho que eu tive.
    Praticamente, o São Paulo era campeão de 3 em 3 meses.
    Nossa mãe, eu ficava louco de vontade de acordar cedo e ir para a escola com a camisa do São Paulo.
    Em 92, minha nossa, em um sábado joga São Paulo e Palmeiras o primeiro jogo da final do Paulista, no outro final de semana joga São Paulo e Barcelona e no outro domingo joga São Paulo e Palmeiras o segundo jogo da final do Paulista.
    Agora em 93 foi demais.
    O Milan era o bixo papão.
    Eu lembro que faziam terrorismo com os São Paulinos.
    Praticamente diziam o seguinte: São Paulo, perde por W.0 que fica mais bonito! Vocês vão tomar um chocolate! Não importa o que vai acontecer, o Milan vai ganhar!!
    E eu com 9 anos de idade, acordado de madrugada para assistir aquele jogo fantástico.
    Valeu a pena.
    3 a 2 São Paulo.
    Eu não cabia dentro de mim de felicidade.
    Derrotamos o bixo papão.
    No domingo de manhã, eu fazia questão de ficar desfilando com a camisa do São Paulo.
    E por incrível que pareça, o que tem de amigos meu, parentes, que não são São Paulinos e dizem que ficaram acordados de madrugada para assistir São Paulo e Milan.
    Aquele jogo mexeu muito mesmo.
    Pela força do Milan, os Clubes Brasileiros não estavam acostumados com um confronto daquelas proporções.
    Por exemplo, na segunda feira, no Globo Esporte, mostrando os jogadores do São Paulo embarcando para o Japão, todos de terno e gravata no aeroporto, você vê a importância do jogo.
    Eu lembro que na Copa do Mundo de 94, eu comprei a revista de figurinhas e a maioria dos jogadores da Itália, eram jogadores do Milan.
    Então eu só tenho que agradecer ao Mestre Tele Santana
    Raí, Zetti, Cafu, Muller, Pintando, Palhinha, Válber, Juninho, Leonardo, Toninho Cerezo, André Luiz, Vitor, Dinho, Ronaldo Luiz, Dinho, Adilson
    e como disse o Ronaldão:
    Falavam que o Barcelona era imbatível. Nós vencemos o Barcelona!
    Falavam que o Milan era imbatível. Nós vencemos o Milan!
    E nós, somos o que?!

  2. empresário de Maia confirma que o Liverpool quer o jogador . Esse ai está com um pé fora do clube .
    Opinião – se o SPFC for esperto vende o garoto por uns 7 ou 8 milhões de euros . Aproveita que a cotação do euro está alta , e faz grana com o jogador

  3. Nas últimas semanas eu vi São Paulo contra Flamengo, 1×1, 2×0, 2×2, parmera, 4×2 e 2×1 e os jogos contra Milan 3×2 e Barcelona 2×1.

    Esse time hoje, com o Raí, ganharia tudo.

    Zetti, Vitor, Valber, Ronaldão, Leonardo, Pintado, Cerezo, Raí, Cafu, Palhinha, Muller.

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!