Um dos assuntos mais comentados nas últimas semanas no meio esportivo foi a ação que Maicon moveu contra o São Paulo. O volante, atualmente no Grêmio, entrou na Justiça pedindo adicional por ter jogado à noite, finais de semana e feriados. A atitude foi criticada por Marco Aurélio Cunha, ex-dirigente do SPFC, em Live no canal Arnaldo e Tironi no Youtube.

Para Marco Aurélio Cunha, o trabalho de um atleta é de natureza completamente diferente a um convencional. “Os trabalhos em geral têm abordagens totalmente fora do contexto em relação ao futebol. Então, garçom não pode trabalhar à noite nem de domingo. A legislação no futebol ela é mais do que conhecida na sua rotina. Não é possível que a Justiça do Trabalho não raciocine para ser justa”, afirmou.

O dirigente declarou não saber quem entrou na Justiça. Fez, entretanto, comentários fortes. “Com todo o respeito a quem deve ter dado essa decisão, quem pede é imoral. Um jogador que pede adicional por jogar domingo é imoral. Não sei quem ganhou a ação e nem quero saber. Ele sabe as condições. É desrespeitoso. Quem pede uma coisa dessas, me perdoe, não faz sentido algum”, afirmou Marco Aurélio Cunha.

Profissionais

Para finalizar, Marco Aurélio Cunha fez piada. “Narrador também trabalha no domingo. Será que o Cleber Machado ou o Galvão Bueno vão reclamar de trabalhar no domingo? Ora, pelo amor de deus. Já imaginou o Faustão? Vai ganhar um bilhão de indenização por trabalhar tanto no domingo à tarde”, ironizou.

Torcedores.com