A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) divulgou nesta quinta-feira (14) os estádios postulantes às finais das competições sul-americanas para os próximos três anos. Quatro federações enviaram a lista com os possíveis estádios. Em 2021, 22 estádios estão na lista para sediar a final da Libertadores e/ou da Sul-Americana. No próximo dia 25, a Conmebol fará uma reunião para pré-selecionar algumas canchas.

Vale lembrar que desde a última temporada, a Conmebol instaurou a final única na Libertadores e na Sul-Americana. Em 2019, a final River Plate e Flamengo, vencida pelos brasileiros, que seria inicialmente no Estádio Nacional de Santiago, no Chile, foi para o Monumental de Lima. Já a Sul-Americana vencida pelo Independiente del Valle sobre o Colón foi no Estádio General Pablo Rojas (La Nueva Olla), do Cerro Porteño, em Assunção, no Paraguai.

Para este ano, ainda sem definição de data, os estádios que vão sediar as finais são o Maracanã no caso da Libertadores e o Mário Alberto Kempes, em Córdoba, na Argentina, no caso da Sul-Americana.

Estádios para 2021

De acordo com o documento divulgado pela Conmebol, são 12 estádios pré-selecionados para a final da Libertadores em 2021. São cinco no Argentina, quatro no Brasil, um no Chile e um no Equador.

Em solo brasileiro, os estádios selecionados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) foram a Arena da Baixada, em Curitiba, Beira Rio, em Porto Alegre, Arena Corinthians e Morumbi, ambos em São Paulo. Pela Associação de Futebol Argentino (AFA) foram quatro situados na grande Buenos Aires: Monumental de Núñez, La Bombonera, El Cilindro e Libertadores de América e um em Córdoba: Mário Alberto Kempes.

Já a Federação de Futebol do Chile (FFCh) selecionou o histórico Estádio Nacional de Santiago. Por fim, a Federação Equatoriana de Futebol escolheu o Monumental Banco Pichincha, em Guayaquil.

Para a Sul-Americana, são 15 estádios pré-selecionados. No Brasil, além do Beira Rio e da Arena da Baixada, temos a Arena Castelão, em Fortaleza, Mané Garrincha, em Brasília, Arena Pernambuco, em Recife e o Maracanã, no Rio de Janeiro. Na Argentina, além dos citados com exceção do Mario Alberto Kempes, temos o Nuevo Gasometro, em Buenos Aires, e o Único, em Santiago del Estero. Pelo Chile, o Estádio Nacional e pelo Equador, o Rodrigo Paz Delgado, em Quito.

Estádios para 2022 e 2023

Para 2022, a lista de estádios para serem a sede da final da Libertadores é de 15. Além dos já citados anteriormente que concorrerão para as finais de 2021, temos a adição do Maracanã no Brasil, do Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai e de dois representando o Peru: o Monumental e o Nacional, ambos em Lima. A Sul-Americana terá os mesmos candidatos de 2021 para a final de 2022.

Para 2023, de acordo com a Conmebol, além dos estádios citados para a Copa de 2022 com exceção do Centenário, há mais duas canchas na Colômbia: o Antanásio Girardot, em Medellín, e o Monumental de Barranquilla. Já para o Sul-Americana, são as mesmas canchas com a adição do Atanásio Girardot.

Confira a lista completa de estádios postulantes abaixo:

Libertadores 2021

Argentina
– La Bombonera (Buenos Aires)
– Monumental de Núñez (Buenos Aires)
– Libertadores de América (Buenos Aires)
– Presidente Perón – El Cilindro (Buenos Aires)
– Mario Alberto Kempes (Córdoba)

Brasil
– Arena da Baixada (Curitiba)
– Beira Rio (Porto Alegre)
– Arena Corinthians (São Paulo)
– Morumbi (São Paulo)

Chile
– Estádio Nacional (Santiago)

Equador
– Monumental B. Pichincha (Guayaquil)

Sul-Americana 2021

Argentina
– La Bombonera (Buenos Aires)
– Monumental de Núñez (Buenos Aires)
– Libertadores de América (Buenos Aires)
– Presidente Perón – El Cilindro (Buenos Aires)
– Mario Alberto Kempes (Córdoba)
– Único (Santiago del Estero)

Brasil
– Mané Garrincha (Brasília)
– Arena da Baixada (Curitiba)
– Arena Castelão (Fortaleza)
– Arena Pernambuco (Recife)
– Arena Fonte Nova (Salvador)
– Beira Rio (Porto Alegre)
– Maracanã (Rio de Janeiro)

Chile
– Estádio Nacional (Santiago)

Equador
– Rodrigo Paz Delgado (Quito)

Libertadores 2022

Argentina
– La Bombonera (Buenos Aires)
– Monumental de Núñez (Buenos Aires)
– Libertadores de América (Buenos Aires)
– Presidente Perón – El Cilindro (Buenos Aires)
– Mario Alberto Kempes (Córdoba)

Brasil
– Arena da Baixada (Curitiba)
– Beira Rio (Porto Alegre)
– Arena Corinthians (São Paulo)
– Morumbi (São Paulo)
– Maracanã (Rio de Janeiro)

Chile
– Estádio Nacional (Santiago)

Equador
– Monumental B. Pichincha (Guayaquil)

Uruguai
– Estádio Centenário (Montevideú)

Peru
– Monumental (Lima)
– Nacional (Lima)

Sul-Americana 2022

Argentina
– La Bombonera (Buenos Aires)
– Monumental de Núñez (Buenos Aires)
– Libertadores de América (Buenos Aires)
– Presidente Perón – El Cilindro (Buenos Aires)
– Mario Alberto Kempes (Córdoba)
– Único (Santiago del Estero)

Brasil
– Mané Garrincha (Brasília)
– Arena da Baixada (Curitiba)
– Arena Castelão (Fortaleza)
– Arena Pernambuco (Recife)
– Arena Fonte Nova (Salvador)
– Beira Rio (Porto Alegre)
– Maracanã (Rio de Janeiro)

Chile
– Estádio Nacional (Santiago)

Equador
– Rodrigo Paz Delgado (Quito)

Peru
– Monumental (Lima)
– Nacional (Lima)

Libertadores 2023

– Todos os de 2022

Colômbia
– Atanásio Girardot (Medellín)
– Metropolitano de Barranquilla

Sul-Americana 2023

– Todos os de 2022

Colômbia
– Atanásio Girardot (Medellín)

Foto de capa: Getty Images

Fonte: Mercado do Futebol