Com Barcelona indeciso, Maia pode engrossar lista de jovens vendidos sem estrear nos profissionais do SPFC; veja

As categorias de base sempre foram grandes trunfos do São Paulo para dar respiro aos cofres do clube. Muitos garotos reforçam com qualidade o time de cima, mas há ainda aqueles que sequer estrearam pelos profissionais e já foram vendidos para o futebol europeu. Gustavo Maiaque já está no radar do Barcelona, pode ser o próximo desta lista.

O clube catalão já pagou 1 milhão de euros (cerca de R$ 6,3 milhões) em março para ter preferência na opção de compra e precisará pagar mais 3,5 milhões (aproximadamente R$ 22 milhões) para fechar o negócio. Porém, por conta da atual situação econômica do Barça em meio à pandemia do coronavírus, o time discute se é aconselhável pagar esse valor pelo jogador.

Não é de agora, entretanto, que o clube recorre a venda de garotos sem que eles tenham sequer jogado uma partida pelo time principal. Relembre outros jogadores que deixaram o Tricolor de maneira prematura e foram para o futebol europeu.

Ainda em 2017, o Tricolor vendeu Augusto Galvan, com 17 anos na época, para o Real Madrid por 1 milhão de euros (R$ 3,2 milhões na época). Joia de Cotia, o jogador estava com o seu contrato prestes a encerrar e poderia deixar o clube de graça poucos dias depois da concretização da venda. Por isso, a negociação foi vista com bons olhos pelo clube.

Hoje com 21 anos, Galvan ainda pertence ao Real Madrid, mas está emprestado ao Cultural Leonesa, time da terceira divisão espanhola. Apesar de ter certo destaque no Castilla, time B dos Merengues, o jogador ainda não conseguiu uma vaga no elenco principal do clube.

Só em 2019, o São Paulo emplacou a venda de três zagueiros da base que também não tiveram tempo de estrear pelos profissionais. O primeiro deles foi Tuta, titular do elenco campeão da Copa São Paulo de Futebol Jr. Logo após a competição, a diretoria tricolor aceitou a proposta de 1,8 milhão de euros (R$ 7,6 milhões) do Eintracht Frankfurt, da Alemanha.

O valor pago equivale a 70% dos direitos do jogador. Dessa forma, o São Paulo manteve os outros 30%. Tuta até chegou a ser relacionado para alguns jogos no time principal e 2018, mas não teve oportunidade de entrar em campo.

Meses depois, foi a vez do São Paulo acertar a venda de Miguel Alcântara. Sem o mesmo destaque de Tuta no sub-20, o jogador não estava nos planos da comissão técnica do time principal e foi vendido por apenas 500 mil euros (cerca de R$ 2,2 milhões) para o Ascoli, time da segunda divisão da Itália. Apesar de estar integrado ao time principal do clube italiano, Miguel ainda não fez a sua estreia por lá.

Na mesma época, o Tricolor vendeu uma das grandes joias formadas em Cotia e que também voou para o Velho Continente sem disputar uma partida pelo time de cima. Parceiro de Tuta no título da Copinha, Morato foi vendido ao Benfica por 6 milhões de euros (R$ 27,3 milhões) por 75% dos direitos. De quebra, a joia são-paulina se tornou a maior venda de um zagueiro já feita pelo clube.

Defensor técnico e com bom porte físico, o garoto se despediu o Tricolor com apenas 18 anos e de cara ganhou destaque no time B da equipe portuguesa. O desempenho foi tão bom que chegou a receber oportunidade no elenco principal, em jogo válido pela Taça da Liga no final do ano passado.

Gazeta Esportiva

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!