Com a crescente onda de incerteza pensando na retomada das competições em função da pandemia do novo coronavírus, se torna menos provável que a Conmebol consiga manter o cronograma atualmente previsto para a sua principal competição de clubes, a Copa Libertadores.

E o assunto parece já fazer parte de maneira mais aberta das discussões internas. Ao menos foi o que deixou transparecer o secretário adjunto da entidade sul-americana, Gonzalo Belloso, em entrevista dada a Radio2, da Argentina.

Além de pontuar que o cenário pode levar o adiamento da decisão de 21 de novembro (data que está mantida até o momento pela Conmebol) para o mês de janeiro de 2021, sem especificar uma data. Ao que se sabe, o estádio do Maracanã seria mantido como palco da final.

– Acreditamos que o futebol deve ser retomado quando cumprirmos todos os requisitos de saúde. É uma indústria como qualquer outra, além de um esporte, e gera milhões de empregos – disse Gonzalo ao veículo radiofônico radicado na cidade de Rosario.

Antes da pausa forçada do futebol, a atual edição da Liberta havia disputado duas rodadas da fase de grupos.

Lance!