Entrevista com Pablo: “São Paulo tem chance sim de brigar pela Libertadores e esse é nosso objetivo”; leia tudo!

Sem perspectiva de retorno, o futebol paulista está paralisado por conta da pandemia do novo coronavírus. Aos poucos, outras regiões vão tentando normalizar o dia a dia do futebol, mas a cidade de São Paulo vive dias trágicos e convive com números assustadores.

“É um momento muito difícil para o mundo inteiro. As autoridades que tomam conta do futebol precisam ter consciência e responsabilidade para definir qual é o melhor momento de voltar. Eu não sei falar qual é, acredito que quando for mais seguro para todos. A gente sabe que uma partida envolve muitas pessoas além de jogadores e comissão técnica. Todo mundo quer que volte logo o futebol, mas tem que ter cautela. Estou com muita ansiedade para voltar a treinar e jogar com meus companheiros, mas a gente sabe que o futebol tem contato, não tem como não ter contato, jogar distante do adversário e do companheiro. É impossível”, opinou Pablo sobre o retorno do futebol no Brasil.

O jogador faz parte do pacotão de reforços do São Paulo dos últimos anos que dá esperança à torcida para dias melhores. Sem títulos desde 2012, quando o Tricolor levantou a taça da Copa Sul-Americana, jogar no São Paulo não é tarefa fácil. 

“Para vestir a camisa do São Paulo precisa ter espírito de vencedor, porque é uma equipe acostumada a vencer e estar no topo. Faz muito tempo do último título. A torcida não está acostumada com isso. É óbvio que é uma responsabilidade, e cada ano que passa, vai aumentar mais”, refletiu o camisa 9 Tricolor.

Pablo é um dos nomes de peso que o São Paulo contratou em busca de um elenco forte (Foto: Getty Images)

Pablo relembrou que, antes de vestir a camisa Tricolor, poderia ter optado por defender o Flamengo ou o Palmeiras, que também se interessaram por ele após período vitorioso no Athletico. 

“Eu me via muito no São Paulo, jogando com essa camisa. Estou feliz aqui e espero que eu possa dar alegria para o torcedor”

Além do orgulho de vestir a camisa do Tricolor, Pablo contou atitudes primordiais por parte do clube para a sua escolha. 

Quando Diego Souza deixou o clube, Pablo assumiu a camisa 9 e revelou, em entrevista ao canal do clube, certa inspiração em Luis Fabiano, ídolo do Tricolor. O atleta relembrou a passagem do craque pela seleção brasileira durante sua juventude e disse se inspirar em outros craques mundiais para fazer história.

“É um cara fantástico. Tem a camisa do São Paulo na pele. Quando eu estava subindo para o profissional, ele era o camisa 9 da seleção brasileira, então claro que é uma inspiração pra mim. Se eu vou chegar nesse nível de idolatria dele, isso é questão que só o tempo vai dizer, mas claro que é difícil fazer tudo que ele fez. Se tiver um pouco da vontade e um pouco dos gols já vai me ajudar muito. Mas claro que no futebol é uma das minhas grandes referências, como outros também, Ronaldo Fenômeno, Ibrahimovic, CR7, que hoje joga como um 9”, contou Pablo.

Luis Fabiano não é a única marca forte que o São Paulo tem que agrada o atacante. A torcida Tricolor lotando o Morumbi também é motivo de orgulho por defender as cores do clube. Pablo relembra o clima do Morumbi na partida contra a LDU, onde o clube paulista saiu vencedor com o placar de 3 a 0.

Se conseguirmos trazer essa energia do jogo da LDU para todos os jogos, acredito que o São Paulo tem muito mais chance de ser campeão”.

Para Pablo, o São Paulo, juntamente com a força do Morumbi, está pronto para vencer a Libertadores, caso a competição volte a acontecer normalmente ainda nesta temporada.

“Aquele jogo contra a LDU deixou muito claro que o São Paulo é uma equipe que vai se impor em qualquer jogo pelo treinador que temos, pela forma que jogamos e pela qualidade dos nossos jogadores. A camisa também já representa muito, já coloca medo nas outras equipes. E os jogadores que o clube tem também são jogadores de respeito que os adversários já olham com olhar diferente. Acredito que a equipe do São Paulo tem chance sim de brigar pela Libertadores e esse é nosso objetivo”, cravou o atacante.

Por fim, o camisa 9 são-paulino não escondeu sua admiração por Fernando Diniz e revelou uma ligação surpreendente do treinador em meio à quarentena.

“É um cara que pensa futebol de uma maneira que eu acho a mais correta possível, que é jogando com o time pra frente, com o time com posse de bola, propondo o jogo, criando oportunidades. No Brasil era a equipe que mais finalizava. Nós jogadores gostamos e concordamos plenamente. Ele me ligou esses dias e falou: “Pô, estou assistindo muitos jogos nossos, e tem muita coisa ainda pra melhorar”. E eu achando que tava bom já (risos). Ele sempre está querendo mais, querendo buscar. É um cara que ainda vai ajudar o São Paulo muito”, opinou.

Pablo chegou ao Tricolor no fim da temporada de 2018 e soma 41 jogos com a camisa do clube. Nesse tempo, são dez gols marcados, sendo dois deles na última partida do clube no ano, contra o Santos, que deu a vitória ao São Paulo no clássico.

Esporte Interativo

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!