passaro

Entenda por que o São Paulo precisa vender mesmo após a saída de Antony

Orçamento do São Paulo prevê 33 milhões de euros em vendas neste ano. Venda de Antony renderá 23 milhões, mas não entra nesta conta

A diretoria do São Paulo não esconde que será preciso fazer dinheiro com venda de atletas ainda neste ano para conseguir cumprir o orçamento. A venda de Antony para o Ajax (HOL) aproxima o clube da meta que consta no documento, mas não muda o cenário.

O orçamento aprovado para 2020 prevê 33 milhões de euros em negociações (na época da aprovação, significavam R$ 154 milhões, enquanto hoje são R$ 208 milhões). O Ajax (HOL) pagou 7 milhões de euros por 20% de David Neres que ainda pertenciam ao Tricolor e vai pagar 16 milhões por Antony, totalizando 23 milhões. Em tese, restariam 10 milhões de euros a serem realizados, mas o clube encara essas vendas como se tivessem sido feitas no ano passado. Portanto, não entram na conta de 2020.

– Quando fizemos o orçamento, havíamos considerado que essa negociação já teria sido feita. Em termos de orçamento, os 33 milhões de euros de meta continuam. Esse valor da venda do Antony era algo que esperávamos para o ano passado, algo na ordem dos 20 milhões de euros. Por entender que as propostas que chegaram não eram as ideais, a gente não fez isso, mas no orçamento considerávamos que teria sido feita no ano passado. Nós necessitamos fazer venda para esse ano, sim. Não precisa ser só um jogador, uma venda de 20 ou 25 milhões de euros. Pode ser mais de um jogador também, com valores menores, mas é necessário ainda para o ano – disse o diretor financeiro do São Paulo, Elias Albarello.

Quem desperta maior cobiça do mercado europeu é Igor Gomes, que foi colocado na mira do Real Madrid por veículos de imprensa espanhóis. O São Paulo ainda não foi consultado, mas sabe que o atleta está em processo para tirar passaporte português, o que facilitaria sua entrada em um clube do Velho Continente.

Mais, atacante das categorias de base, deve ser negociado com o Barcelona. O clube catalão vai pagar 1 milhão de euros pela exclusividade de compra, a ser efetivada no meio do ano – se por ventura ele não for para lá, o São Paulo recebe a quantia do mesmo jeito.

Em 2019, o São Paulo fez R$ 97 milhões em negociação de atletas, já descontando as fatias que ficaram com terceiros. A diretoria considerava necessário ter feito cerca de R$ 80 milhões a mais, por isso considera que a saída de Antony preenche esta lacuna.

Curiosamente, apenas um jogador vendido em 2019 fazia parte do elenco principal: Lucas Fernandes. Rodrigo Caio saiu antes do início da temporada, enquanto três garotos revelados em Cotia foram vendidos antes mesmo de estrearem profissionalmente. Uma fatia considerável deste montante veio de bônus por metas alcançadas por atletas negociados anteriormente, como Maicon, Neres e Thiago Mendes.

Lance!

passaro

10 comentários

  1. Infelizmente o São Paulo é caso de polícia… Um clube com esse volume de dinheiro viver na pindaíba é, no mínimo, estranho, digo estranho, pois todos nós sabemos de fato onde esse dinheiro acaba parando.

    • Se houvesse interesse de ir atrás do patrimônio desses dirigentes saberíamos onde vai parar o dinheiro do clube, é bem óbvio. O Lecomissão e esses pilantras que o rodeiam certamente estão com a vida ganha e vão querer botar mais grana no bolso antes da gestão acabar.

    • Vende, vende, vende… E ainda precisa vender mais.
      E a dívida, que prometeram zerar, aumentou…
      Baita azar do clube ter como presidente o nefasto Leco…
      O clube fica, esse incompetente, sai… E vai sair deixando o clube com dívidas, sem ganhar um mísero título e com o rótulo de pior presidente da história…

      • É verdade Márcio. Este trio que administra o São Paulo têm que sair já : Leco, Raí e Pássaro. Eles são nefastos. É sério que ele considera, Anthony do orçamento de 2019?
        Mesmo tendo este rombo de 2019, já estamos em 2020.
        Vão vender o Maia, depois o Igor Gomes. Com esta crise ninguém vai pagar o que vale,vender um grande ativo é burrice.
        Põe o marketing para trabalhar. Sorteiem, uma camisa oficial por semana, otimizando um valor barato de sócio torcedor, para estes torcedores concorrerem.
        Depois que passar a crise de pandemia e o risco de contágio, dê a chance do torcedor comum, conhecer o Morumbi, ver um treino em loco e poder pegar uma camisa autografada com todo elenco, imagina a alegria que o torcedor sentiria, principalmente aquele, que mora fora de São Paulo. São idéias, que estimulariam o torcedor, a ajudar o time no momento de pandemia.

  2. O covid-19 vai quebrar ou dificultar a vida de muitos clubes grandes do Brasil, principalmente aqueles que têm folhas astronômicas. Para sorte do São Paulo, o clube tem Cotia.

  3. Não tenho mais nem adjetivos pra essa gestão. O que choca mesmo é quando eu vejo comentário de algum torcedor achando que tá td certo, tudo ótimo, que se vender ta ok pq tem um monte em Cotia que dá conta.

    É triste ver como tem gente que se contenta com pouco, paga ingresso caro pra ver jogador meia boca pq os bons e promissores vão pra Europa antes de jogar se quer 1 ano como profissional. Vende, vende, vende, continua devendo horrores e não ganha nada.

  4. Primeiro tem que ver se a grana da transação entrará integralmente nos cofres do clube. Depois disso ver quem é(são) o(s) próximo(s) a ser(em) vendido(s).

    Desmonta o time, passa um tempo na zona de rebaixamento, técnico é fritado, entra outro, time melhora momentaneamente e no ano que vem recomeça tudo do zero.

    É muito fácil ser o roteirista da temporada tricolor.

  5. A atual administração é pífia, criminosa, e nos levou a isso.

    Foram tantas lambanças nas contratações que criaram uma repulsa nos torcedores sem igual.

    Para mim, a que chamou mais atenção, não pelos valores, mas pelas circunstâncias, foi o caso do Calazans. O contrato do cara iria se encerrar em 6 meses e não tínhamos carência na posição (Antony, Toró, Helinho, Everton, etc), mas decidiram pagar para trazê-lo imediatamente. O cara nem no banco ficou! Diziam que tinha sido pedido do Cuca, mas ele continuava de técnico e não escalava ele… tudo muito estranho, tudo muito esquisito.

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!