Daniel Alves diz que volta do futebol é o que “menos interessa no momento”

Após quase dois meses de bola parada por conta da pandemia do coronavírus, mutos rumores surgiram de uma possível volta dos campeonatos. No Rio Grande do Sul, por exemplo, Grêmio e Inter já retornaram aos treinamentos. Entretanto, a maioria dos estados ainda preza pela cautela neste processo, como em São Paulo, onde a FPF decidiu realizar isto apenas quando as autoridades de saúde acharem viável.

Completando 37 anos nesta quarta-feira, o meia Daniel Alves concorda com a decisão de esperar. O camisa 10 do São Paulo, afirmou que, neste momento, o menos importante é o futebol, já que o mundo tem outras prioridades agora.

“A gente espera que as coisas voltem ao normal, mas a gente não tem que estar colocando data para isso voltar. Existe uma preocupação, existe um foco que é a gente conseguir encontrar a solução para esse grande problema. A gente está falando de saúde, de vida. Não estamos falando de entretenimento, isso é o que menos interessa no momento. Hoje, se eu tivesse preocupado em voltar o futebol, seria antiético da minha parte. Tem outras coisas mais preocupantes. Estou preocupado com meus filhos estarem bem, minha família estar bem, com meus amigos, com a população estar bem e sadia. Porque eu preciso de pessoas, preciso conviver com elas e essa é minha maior preocupação”, disse em entrevista à TV Globo.

O São Paulo ainda não definiu uma data para o retorno das atividades, com isso Daniel Alves vem mantendo seus treinamentos em casa, para tentar manter a forma física durante a quarentena.

“Todo mundo quer fazer o que fazia antes, mas o momento não é esse, o momento é de cuidar disso. Todo mundo tem que ficar em casa. Quando vai voltar o futebol? Volte quando quiser que eu vou estar preparado”, finalizou.

Gazeta Esportiva

7 comentários

  1. Não estou preocupado com entretenimento não, criatura, estou preocupado é com o São Paulo, sem futebol não tem verba de tv, não há motivos para o futebol não voltar, é um ambiente perfeitamente controlável, só fazer testes em todos que tiverem acesso ao estádio, o mesmo nos treinamentos, façam testes diários se for preciso. Está difícil achar testes rápidos no mercado? Sim, mas se preparem, clubes e federações, para aquisição de grandes lotes de testes rápidos e assim que for adquiridos voltem a trabalhar. Se é possível o controle do ambiente, não tem motivo para não voltar, exceto essa bobagem de dizer que vai passar uma má impressão para a sociedade, minha preocupação é com o São Paulo Futebol Clube. Falar que não quer jogar recebendo 1 milhão por mês para ficar no instagram postando palhaçada é mole, nosso clube que está sangrando e se atolando em dívidas para manter essa brincadeira toda.

      • Como eu disse anteriormente, é um ambiente PERFEITAMENTE controlável. Basta fazer testes em todos os profissionais que tiverem acesso ao estádio, e obviamente de portões fechados. O único motivo para não ter sido liberado é essa bobagem de dizer que a população terá um exemplo ruim e vai abandonar a quarentena. Isso é uma bobagem sem tamanho. O ambiente dentro do estádio, se feito o controle corretamente, não oferece risco algum. E obviamente, de portões fechados.

  2. Respeito a opinião dele, mas gostaria que eles se manisfestassem também em aceitar a suspensão dos salários e contratos enquanto durar a pandemia.

  3. O “Pró vidas” se esquece que 80% dos jogadores ganham um salário mínimo. Como muitos outros integrantes da elite, seja ela qual for, é completamente alienado.

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!