Se as competições esportivas ainda parecem longe de voltar às atividades, os clubes de São Paulo querem ao menos serem autorizados a reabrirem as portas aos seus associados. Em ofício enviado ao governador João Doria (PSDB), os sindicatos que representam os clubes solicitaram autorização para voltarem a funcionar a partir do dia 11 de maio.

Em ofício subscrito pelo Sindicato dos Clubes do Estado de São Paulo (Sindi Clube) e pela Associação de Clubes Esportivos e Sócios-Culturais de São Paulo (Acesc), os clubes pedem que Doria “considere a possibilidade de flexibilização das atividades do setor clubístico”, que diz ter 2,5 milhões de associados e gerar 40 mil empregos diretos. São Paulo FC, Palmeiras e Corinthians estão entre os membros do Sindi Clube.

“O Sindi Clube e a ACESC se colocam à disposição para dialogar com as agremiações no sentido de auxiliar no processo gradual de abertura de suas instalações, com as devidas medidas de contingência recomendadas pelas autoridades da saúde”, diz a nota dos clubes, que apontam que a reabertura gradual “possibilitará ao setor recompor paulatinamente suas finanças e reativar suas forças de trabalho”.

Doria prometeu um plano de retomada da atividade econômica, que começa a valer exatamente em 11 de maio, mas cujos detalhes só serão dados mais adiante. Em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes o governo anunciou que o término da quarentena deverá respeitar um cronograma por fases e será diferente para cada região, dependendo da disponibilidade de leitos nos hospitais.

UOL