A situação financeira do São Paulo é “bastante complicada”, admite Elias Albarello, Diretor Financeiro do clube, que segue negociando contratos de prestação de serviços e compra de produtos. O clube busca, ainda, antecipação de algumas receitas e empréstimo bancário.

Em meio à pandemia de coronavírus, os tricolores procuram soluções. “Complementação de recursos no mercado financeiro, dilatando prazos de pagamento da folha. Algumas medidas emergenciais”, explica ao blog o dirigente são-paulino.

“Uma outra ação que estamos fazendo é renegociando parcelas de empréstimos, vencíveis em abri e maio, estendendo-as para o segundo semestre. E sempre finalizando nesta gestão”, assegura Elias Albarello.

O clube poderá ir ao mercado para executar operação financeira de antecipação de recebível. Assim estaria dando uma garantia e, consequentemente, conseguiria taxa de juros menor. É uma maneira de ter liquidez em meio à queda de receitas provocada pela crise do momento atual.

Albarello é enfático com relação à comentada tentativa de contar com o uruguaio Edinson Cavani: não há recursos. Em entrevista recente à Rádio Transamérica, ele disse que seria uma irresponsabilidade tal contratação para pagamento futuro. “Não podemos mais trabalhar dessa forma”.

Em 2019 o São Paulo fez um investimento elevado ao repatriar Daniel Alves. Ele e os demais jogadores não sofreram exatamente redução salarial. “Vamos pagar 50% mensalmente e o restante dividido em alguns meses após o retorno dos jogos e receitas”, explica.

UOL – Mauro Cezar Pereira