Principal referência técnica do São Paulo, Daniel Alves comentou sobre o interesse de clubes europeus ao decidir deixar o Paris Saint-Germain. Torcedor do Tricolor, o lateral-direito da Seleção Brasileira preferiu encerrar sua trajetória no Velho Continente para realizar um velho sonho de vestir a camisa do clube do seu coração, mas, para isso, teve de fechar as portar para importantes agremiações do futebol mundial.

“Não é muito ético falar especificamente, mas tinha opções, algumas opções de permanecer lá fora, de time grande, alguns times de ponta e alguns médios. Eu queria estabilidade. O que aconteceu comigo na Juventus eu não gosto que aconteça, de estar em um time um ano, poderia fazer muito mais pela Juventus se tivessem cumprido o que prometeram”, disse Daniel Alves em entrevista ao Esporte Interativo.

O atual camisa 10 do São Paulo deixou o Barcelona após oito temporadas e decidiu se transferir para o futebol italiano. O “casamento” com a Juventus, entretanto, durou pouco, e ele explicou o motivo de não ter permanecido em Turim por mais tempo.

“Quando não cumprem o que prometem, eu já sei que não vou durar aqui. Eu sou do fio de bigode. O que você fala para mim você tem que cumprir. As pessoas que estavam lá, que depois que eu saí o treinador e os diretores também saíram, tinham me prometido certo tipo de coisa, e não aconteceu. Para eu me reinventar, preciso que aquilo que foi prometido seja cumprido. Como não foi, não fiquei. Mas, alguma coisa eu deixei”, completou o Good Crazy.

Apesar de ter permanecido por pouco tempo na Juventus, Daniel Alves se despediu do clube bianconeri com as conquistas do Campeonato Italiano e da Copa da Itália da temporada 2016/17. Depois disso, foi para o Paris Saint-Germain, reeditando a parceria com Neymar.

Gazeta Esportiva