O futebol ainda não tem data ou perspectiva para retornar suas atividades. Mas os dirigentes já pensam sobre o que será necessário para o reinício das partidas. Por isso, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Federação Paulista de Futebol (FPF) cogitam a compra de testes do coronavírus para testar todos os envolvidos nos jogos.

“Não há como voltar a jogar futebol sem ter as pessoas testas”, disse Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da FPF, em entrevista à Rádio Globo nesta sexta-feira.

“Falei com o presidente Rogério Caboclo (da CBF) e eles também estão vendo essa possibilidade dos testes. A FPF está analisando. Podemos adquirir uma quantidade grande, o que diminuiriam os gastos para os clubes”, emendou.

O impacto financeiro no futebol será indiscutível com essa paralisação. Muitos clubes terão dificuldades em cumprir seus compromissos. O presidente da FPF garante que aconselha muita cautela para os clubes.

“Ninguém vai conseguir pagar salários nos patamares da atualidade. O ano de 2020 será de enorme dificuldade, em 2021 os valores serão bem menores. Agora tem que pensar em cumprir os compromissos”, disse Reinaldo Carneiro Bastos.

Por fim, a FPF reconhece que não tem como interceder na questão do pagamento da última parceira dos direitos de televisão do Estadual, que está congelado.

“O diálogo que tive com a TV Globo é que, a partir do momento que sinalizar uma volta, trataríamos desse assunto. Sabemos que eles vão cumprir o compromisso.  O que a gente precisa é divulgar novamente a tabela”, disse Reinaldo Carneiro Bastos.

Terra