Em entrevista concedia à Rádio Transamérica, Pablo opinou sobre as reduções salariais propostas pelos clubes durante a pandemia do coronavírus. Para o atacante do São Paulo, os jogadores precisam ter consciência das dificuldades enfrentadas pelas instituições, mas também é necessário das suporte a atletas que recebem menos.

“É muito complicado falar em relação a isso, porque quando você envolve jogadores de todas as divisões do Campeonato Brasileiro, tem jogadores de Série C e Série D que assinam contrato de três meses para jogar os estaduais. Os contratos desses jogadores estão se encerrando, se já não encerraram. Então é difícil porque o cara tem família, tem filhos. Para esses jogadores tem que tomar muito cuidado”, disse Pablo.

De acordo com o atacante, a situação é diferente nos grande clubes:” Nós, que jogamos em equipes de primeira divisão, temos que ter a consciência e sabedoria, porque é um momento de dificuldade para o clube, mas não só para o São Paulo, é para todas as instituições. É algo muito difícil para a sociedade em geral, no mundo inteiro. O jogador tem que ter essa consciência, mas temos que lembrar de equipes menores, porque os jogadores não têm salários altos e podem chegar a passar necessidade. O São Paulo é um clube muito grande com muitos funcionários, então tem que entender o momento”.

A pandemia do coronavírus tem impactado de diversas formas no futebol. Além dos prejuízos financeiros, há uma preocupação com a preparação física dos jogadores e, principalmente, com os calendários das competições.

Gazeta Esportiva