Não há muitas dúvidas de que, no momento, o Flamengo é a melhor equipe do futebol brasileiro e o time a ser batido. No entanto, para Pablo, atacante do São Paulo, o Tricolor do Morumbi possui similaridades ao Rubro-Negro carioca.

Além de comparar o estilo de jogo das duas equipes, Pablo acredita que Fernando Diniz tem pontos em comum com Jorge Jesus, o treinador mais badalado do país. O atacante do São Paulo não esconde que o grande objetivo da temporada é vencer time carioca.

“O Flamengo é o atual campeão brasileiro e da Libertadores, é a equipe a ser batida no Brasil, não tem dúvida. Manteve seu elenco, o Gabigol, que fez muitos gols (em 2019), já começou o ano fazendo gol para caramba, Bruno Henrique, Arrascaeta, Diego… Enfim, é uma equipe que é muito forte e com o estilo do Jorge Jesus, que eu vejo ser muito parecido com o Fernando Diniz em termos de querer ter a posse de bola e de marcar com a linha alta. São duas equipes muito parecidas em termos de jogo”, afirmou o atacante em entrevista à Band.

“(O Flamengo) É uma equipe que tem uma qualidade e um estilo de jogo, e se reforça muito bem. É uma equipe que manteve a base do ano passado, então, já está acostumada a jogar junto. Espero que a equipe do São Paulo vença o Flamengo, que é a equipe a ser batida hoje no futebol brasileiro. Isso não é surpresa para ninguém”, completou.

Pablo também foi perguntado sobre Cavani, que tem sido especulado no São Paulo após Diego Lugano afirmar que acredita na vinda do atacante para o Tricolor em um eventual retorno à América do Sul. O camisa 9 não escondeu a admiração que nutre pelo uruguaio que defende o Paris Saint-Germain e deixou claro que gostaria de tê-lo como companheiro de equipe.“Óbvio, um jogador com a qualidade e história que tem o Cavani seria fantástico. Tive a oportunidade de jogar com o Diego Forlán no Japão e perguntava sempre do Cavani para ele, e ele fala que é um jogador excepcional, e sem sombra de dúvidas é. Se vier, iríamos ficar muito felizes, porque nos ajudaria que uma forma positiva”, disse Pablo.

“É óbvio que é algo que a diretoria tem que tomar as decisões, mas, com certeza, iria ficar muito feliz se ele viesse, aprenderia muito, ia ajudá-lo a fazer gols”, finalizou.

Gazeta Esportiva