O São Paulo ainda enfrenta um longo jejum de títulos e sofre com fracassos de temporadas recentes, mas a atual gestão não esconde que vê mudanças significativas nos rumos do clube e tem motivos para essa teoria, principalmente por conta da montagem do elenco. Uma das vozes que reconhecem esse bom momento é Raí, que comemora o perfil de liderança do grupo, simbolizado pela personalidade e pelas qualidades de Daniel Alves.

Em entrevista à rádio CBN na última sexta-feira, o diretor de futebol do Tricolor explicou as características de um elenco pensado de forma cirúrgica, com o objetivo de ter jogadores com perfil de liderança e que tenham alma de vencedor. O ídolo são-paulino, porém, divide os méritos com seus pares.

– O elenco é composto de várias personalidades diferentes. Posso dizer que se simboliza no Dani Alves, e aí não sou só eu, estamos falando de uma equipe, várias diretorias, presidente, Lugano… Toda uma equipe que trabalha junto. A coisa mais marcante é o perfil muito diferente de quando cheguei. Personalidades como Hernanes, Volpi, Dani Alves, Bruno Alves, Juanfran.. São líderes em quem você pode confiar.A “cereja” desse elenco do São Paulo, sem dúvidas, foi a chegada de Daniel Alves no meio da última temporada. Se o objetivo era contratar jogadores vitoriosos, o clube trouxe o mais vencedor de todos, além de ser capitão da Seleção Brasileira. Não é à toa que rapidamente se tornou líder e exemplo para todos os atletas, diante do que mostra no dia a dia, nos treinos, e antes, durante e depois dos jogos. Para Raí, isso tudo faz de Dani um símbolo desse grupo, que também converge com o que Fernando Diniz gosta de trabalhar.

– O Dani acaba simbolizando isso, mas foi uma construção de um elenco, e com o Diniz também há uma harmonia gigantesca com os atletas. São tipos de liderança que têm tudo a ver com a filosofia dele, com a maneira dele ver o mundo, como ele gosta de falar – declarou o dirigente antes de completar:

– Dani é o maior vencedor do mundo e trabalhando com ele você vê muitas coisas que te fazem entender o porquê. É um jogador importantíssimo para a gente nos exemplos, no treino, no jogo, é quem mais corre, quem mais desarma, jogador de comportamento, de atitude, então isso acaba fazendo a diferença, acaba virando um símbolo, ele é capitão da Seleção Brasileira e o símbolo de um grupo que vai nesse sentido – concluiu.

Os jogadores do São Paulo estão em um período de 20 dias de férias desde a última quinta-feira. Ainda não há previsão de retorno aos treinos no CT da Barra Funda para todo o elenco, além disso as competições disputadas pelo clube, como Copa Libertadores e Campeonato Paulista, estão paralisadas. Tudo por conta da pandemia de coronavírus que assola o Brasil e o mundo.

Lance!