Na última semana, o São Paulo ganhou um reforço. O Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJD-AD) reduziu para 12 meses a pena imposta para Gonzalo Carneiro — ele havia sido condenado a 24 meses de suspensão por causa de resultado analítico adverso para cocaína, durante o Campeonato Paulista do ano passado. Desta maneira, o jogador está liberado para reintegrar o elenco. E o clube já se programa para recebê-lo e recuperá-lo. Fora de campo, o jogador tinha o seu acordo com o clube suspenso e não recebia salários. Agora, o contrato volta a estar vigente, sendo o vínculo válido até 31 de março de 2021.

O Tricolor paulista está ciente de que o atacante sofria de depressão. Por isso, os cuidados não devem ser apenas com o jogador, mas também no aspecto mental. Neste sentido, será importante também o trabalho do técnico Fernando Diniz, que é formado em psicologia, sabe bem como lidar com os atletas e já se colocou à disposição para acolher o uruguaio. A parte física também terá uma atenção especial. Durante esse período afastado, ele não podia nem sequer frequentar as dependências do clube. Ele recebeu o apoio do Sindicato dos Atletas do Uruguai e até chegou a participar de partidas amadoras. No entanto, o clube sabe que precisará ficar de olho no desempenho do estrangeiro.

O plano neste sentido é para não deixar de cobrar e de impor uma mentalidade competitiva no dia a dia de trabalho. Indicado por Diego Lugano — superintendente de relações institucionais do Tricolor —, o jogador, de 24 anos, ainda não conseguiu emplacar uma boa fase no país. No total, desde o ano passado, ele disputou 24 partidas pelo time e marcou apenas um gol.

UOL