Conversa entre a Conmebol e interlocutores do futebol brasileiro é de que não há qualquer certeza sobre retomar a edição 2020 da Libertadores. E que a competição certamente será a última a ser pensada após o retorno das partidas, paralisadas por causa da pandemia do novo coronavírus.

Não há certeza sobre datas para se voltar a jogar futebol, seja mundial, continental ou nacional porque não se sabe quando o isolamento social, indicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e Ministério da Saúde como melhor remédio para evitar o contágio pela Covid-19, será afrouxado. Mas há ideias e um esboço de como pode ser essa retomada. Na visão da cartolagem, a sequência natural para o retorno de jogos tem relação com o menor deslocamento que será feito pelos atletas. Por isso, hoje, um calendário teria essa prioridade:

1) Estaduais: Campeonatos em que não seria necessário deslocamento por meio de aviões. Há ideia, como mostrou o blog, até de realizar as partidas em uma sede fixa, uma cidade só, e isolando os jogadores para realização de testes que indiquem que não estão infectados com o novo coronavírus. Há a garantia da CBF para os presidentes das federações de que os Estaduais serão finalizados assim que os agentes de saúdes afrouxarem o isolamento.

2) Brasileiro: Nove estados têm representantes na Série A, o que dificulta iniciar a competição, prevista para começar em maio, já que será preciso usar aeroportos, hoje com voos reduzidos e sem prazo para uma normalidade. Os clubes pediram à CBF, em reunião na terça (7), para manter as 38 rodadas em pontos corridos, de olho em antecipação de receitas de direitos de transmissão. CBF não garante isso porque não sabe quando se poderá jogar e não quer avançar a temporada 2020 para 2021.

3) Libertadores e Sul-Americana: Como o blog revelou, a Conmebol ouviu de representantes de governos da América do Sul que dificilmente o acesso entre as fronteiras do continente estará normalizado em 2020. Isso inviabilizaria a conclusão da Libertadores e da Sul-Americana, e preocupa a confederação sul-americana que até já adiantou verba de cota aos clubes para ajudá-los enquanto as atividades estão paradas.

Oficialmente, a Libertadores está parada até a semana de 6 de maio, mas em alguns dias esse adiamento vai passar para junho. Já são três rodadas da fase de grupo perdidas e a Conmebol pretendia usar as datas abertas em junho e julho, com os adiamentos da data-Fifa, das Eliminatórias e da Copa América, para completar as partidas atrasadas. Mas o retorno que obteve é que esquecesse esses meses, pois as fronteiras ainda estarão fechadas. A Sul-Americana, que só teve a primeira fase concluída, depende do fim da etapa de grupos da Libertadores para definir todos os participantes já que os terceiros colocados das chaves migram de competição.

Hoje, a sensação é que dificilmente os torneios serão concluídos.

UOL