No programa Fox Sports Rádio entrevistou o zagueiro Maicon, ex-São Paulo, e que atualmente está no Al-Nassr, da Arábia Saudita. O defensor ficou marcado por ter imitado uma galinha em uma comemoração de seu gol no empate contra o Corinthians, no Paulistão de 2017. 

A partida terminou empatada em 1 a 1, mas quem abriu o placar foi o São Paulo com o gol do jogador e ele acabou comemorando daquela forma. O atleta foi perguntado sobre a sua imitação depois de fazer o gol e explicou que não tinha a intenção de provocar ninguém com a comemoração. 

Foi uma coisa de momento, não foi nada combinado. Senti vontade, não foi uma provocação porque eu tenho o máximo respeito por todos os clubes do Brasil. Aquela comemoração não foi um desrespeito a ninguém, foi como eu quis comemorar no dia do jogo, na hora, no momento, no calor do jogo. Se eu pudesse fazer de novo, naquele dia, naquele momento, eu faria de novo, mas sempre deixando bem claro o respeito que tenho por qualquer clube. Não fiz aquele gesto por desrespeito a ninguém, jamais faria isso“, disse. 

O zagueiro deu sequência sobre o assunto durante a entrevista e revelou que depois do jogo diversos familiares dele receberam ligações com ameaças de morte. Maicon ainda continuou dizendo que diversas mensagens o deixaram chateado, mas que faria a comemoração mais vezes se pudesse.

“Custou caro. Era mensagem ameaçando a minha mãe, o meu pai, me ameaçando, ameaçando todo mundo…claro que algumas mensagens foram mais pesadas, mas em momento algum eu perdi a calma, fiquei com medo. Não sou um bicho para ter medo de ninguém, não fiz nada de errado, para prejudicar ninguém. Lógico que respondi algumas mensagens porque também sou ser humano, não vou ficar calado sempre…foi uma comemoração de momento, não foi pensada. Eu quis fazer, deu vontade de fazer, e se desse vontade de fazer outras vezes, eu faria, não tem importância nenhuma…algumas mensagens me deixaram muito chateados, triste com a maldade do ser humano”, concluiu.

Vale lembrar que o jogador atuou pelo São Paulo durante os anos de 2016 e 2017. Fez 72 partidas com a camisa Tricolor e marcou cinco gols, além de não ter conseguido conquistar títulos.

Sportbuzz