O isolamento necessário, motivado pela pandemia do novo coronavírus, levanta inúmeros desafios para os mais distintos profissionais. No futebol, jogadores têm mostrado em suas redes sociais como estão mantendo a forma em meio à quarentena, mas como ficam os treinadores nesta situação?

Sem um campo, sem bola, sem uma visão periférica ou milimétrica, como os técnicos estão mantendo contato com seus jogadores? A resposta é parecida à de outros questionamentos do tipo: através da internet, no que é possível. Confira abaixo alguns exemplos.

Fernando Diniz

O treinador do São Paulo segue tratando de assuntos da bola. Além de rever partidas, seja do Tricolor ou de outras equipes, para buscar erros e acertos, o comandante continua mantendo as conversas, muitas vezes individuais, que tem com seus jogadores – um traço já conhecido na sua forma de lidar com seus comandados. A diferença é que o bate-papo é agora pelo celular.

Zinedine Zidane

Durante a semana, o treinador e ídolo do Real Madrid fez uma videochamada conjunta com todos os jogadores do elenco principal. O tom da conversa foi amigável e fugiu de assuntos mais profissionais, como táticas. Zidane quis saber como estavam os jogadores e suas respectivas famílias.

Mas isso não quer dizer que o Real Madrid não se preocupa, também, com a forma como seus atletas estão lidando com a quarentena. Preparador físico dos Blancos, Gregory Dupont tem supervisionado de forma constante, também através de videochamada, as rotinas alimentares e de exercícios dos atletas.

Jurgen Klopp

Já o alemão Jurgen Klopp segue demonstrando ser um homem que não esconde suas emoções. Recentemente, Klopp revelou ter ido às lágrimas por causa de um vídeo no qual profissionais da saúde cantam “Youll Never Walk Alone” em um hospital.

Quanto aos treinamentos, o Liverpool é um dos tantos clubes que estão fazendo as atividades através de um aplicativo conjunto de videochamada, que possibilita uma interação maior entre os participantes – uma preocupação é manter o “espírito de equipe” mesmo nestes tempos de isolamento. Mas as atividades não ficam restritas a trabalhos físicos mais óbvios: recentemente Klopp e alguns atletas do Liverpool se reuniram para uma sessão de yoga.

Jorge Jesus

Se uma palavra pudesse ser usada para definir como o treinador do Flamengo tem passado este período, “saudade” seria uma escolha interessante. Em Portugal, para onde escolheu voltar durante a pandemia para ficar mais próximo de sua família, JJ aproveita o tempo para rever jogos do Rubro-Negro. Além disso, Jesus também negocia a sua renovação de contrato.

Seja através de conversas com seus comandados ou com dirigentes, treinadores de clubes brasileiros e de outras partes do mundo buscam o mesmo que todos nós: uma forma de, em meio ao isolamento físico, encontrar um jeito de manter a rotina e o convívio.

Goal.com