São Paulo deve adotar decisão unilateral de 50% de cortes CLT com suspensão de imagem nos salários do time; entenda

O São Paulo estuda maneiras para minimizar os efeitos da crise financeira causada pela paralisação das competições em decorrência da pandemia do coronavírus. Dentro de pacotes de possíveis medidas, o clube apresentou um plano de redução salarial para os jogadores de 50%, com teto de até R$ 50 mil — quem receber menos não teria esse corte. A oferta foi recusada pelos atletas. Mesmo assim, o Tricolor paulista, segundo apurou o UOL Esporte, está disposto a colocá-la em prática.

Dirigentes discutem internamente qual seria o melhor caminho para seguir. A linha defendida pela maior parte dos diretores é a de impor o desejo do clube, como fez o Atlético-MG. No caso, a equipe de Belo Horizonte diminuiu os rendimentos dos atletas em até 25% sem que fossem ouvidos para ajustar a situação.

Já na situação do Tricolor, os jogadores preferiram entrar em férias de 20 dias para depois decidir qual caminho seguir. Assim, eles teriam um cenário mais bem definido de quando as competições devem ser retomadas. Um questionamento feito pelos atletas é a existência de débitos em aberto. O Tricolor deve, na maior parte dos casos, dois meses de direitos de imagem. O clube queria arcar com essas dívidas, mas não pagar em dia os direitos nos próximos três meses.

Vale destacar que o São Paulo já enfrentava uma crise financeira muito antes da pandemia. O clube fechou a temporada 2019 com um déficit de R$ 156 milhões em seu balanço.

UOL

6 comentários

  1. Isso tudo significa que se aparecer uma proposta de uns 20M de euros a vista pelo Igor Gomes, tchau. Mas o estrago maior estará na insatisfação interna ja que o clube não é um exemplo de administração há muito tempo, atrasou várias vezes salário, deve uma bica, está com vários patrocinadores em final de contrato e sem receber da globo.

    Se os atletas aceitarem a proposta, ou se isso for imposto, não há qualquer garantia de que o SPFC terá dinheiro nos próximos meses pra repor esses valores como se comprometeram a fazer.

    • Mas isso vai acontecer sem a menor dúvida, se antes da pandemia, eu já acreditava que o Igor Gomes não terminaria o ano conosco, imagina agora depois de tudo isso…
      E, de fato, o pior vai ser a insatisfação do elenco, e a gente sabe que jogador de futebol, quando não vê a grana na conta, de repente, começa a se machucar, a bola começa a não entrar, os cartões começam a pipocar, os resultados não vêm….

  2. Cara, é inadmissível essa postura dos jogadores, ainda mais frente ao momento que não só o clube enfrenta, mas o país todo..é muita falta de respeito. É uma diferença gritante comparando os milhões que esses perebas ganham com o salário de um pai de família de classe média por exemplo.

    • Mas os jogadores não estão errados.

      É o que cada brasileiro está fazendo: olhando o próprio umbigo. Todo mundo fala em ‘sacrifício’, mas isso só vale até o portão pra fora. Quando entra do portão pra dentro, aí ninguém quer o salário reduzido.

      Mesma coisa são os filhinhos de papai que acordam meio-dia e que ficam fazendo campanha nas redes sociais do tipo ‘Fique em casa’. Eles ficam em cada porque tem quem pague o boleto deles.

      Eu estou em casa porque meu trabalho fechou. Se abrir hoje, saio de casa e vou trabalhar imediatamente. Se todo mundo só olha o próprio umbigo, eu vou fazer o mesmo. E os jogadores também.

  3. Pelo que li, os jogadores não querem colocar nesse acordo os atrasados. Parece que o SP deve para alguns jogadores (a maioria) e eles não aceitam que esses atrasados entrem no atual acordo

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!