O São Paulo confirmou em novembro um acordo de R$ 30 milhões para encerrar o caso Ricardinho, mas o documento ainda não foi assinado. Mesmo em meio à pandemia do coronavírus, o São Paulo avisou a Justiça que deve apresentar o acordo assinado nos próximos dias para que seja homologado e encerre a disputa, que quase causou um bloqueio de R$ 35 milhões nas contas do clube. Os termos negociados preveem o pagamento da dívida em uma entrada e 46 parcelas mensais até o final de 2023.

A cobrança parte de uma ação judicial das empresas RES Empreentimentos e Time Traveler turismo por terem investido na contratação do meia Ricardinho, então no Corinthians, em 2002. O valor inicial da causa era de R$ 5 milhões, mas cresceu ao longo dos anos com juros. Condenado em segunda instância, o clube do Morumbi já não pode mais discutir a validade da dívida.

UOL