Por conta de determinação da Federação Paulista de Futebol, o São Paulo recebeu o Santos no último sábado com portões fechados no Morumbi. A falta de público rendeu prejuízo de cerca de R$ 50 mil para o clube tricolor.

O saldo negativo ocorreu por conta dos encargos necessários para o funcionamento do estádio. Ao todo, o São Paulo teve arcar com R$ 47.571,28 de prejuízo.

A maior despesa ficou por conta dos funcionários, que custaram R$ 21.299,78 na noite. Encargos de equipe de apoio, controle de doping e segurança privada passaram da casa dos R$ 5 mil.

O San-São foi o único compromisso no Morumbi que gerou prejuízo para o clube em 2020. Antes, o São Paulo havia lucrado R$ 358.981,33 contra a Ponte Preta, R$ 1.489.804,27 contra o Corinthians, R$ 116.532,83 contra o Novorizontino e R$ 254.380,66 contra o Água Santa, nos duelos pelo Campeonato Paulista.

Encargos do São Paulo no San-São
Ambulância – R$ 3.380,00
Controle de doping – R$ 5.761,00
Equipe de apoio – R$ 8.368,00
Funcionário – R$ 21.299,78
Orientadores – R$ 1.222,50
Segurança privada – R$ 5.040,00
Sonorização – R$ 2.500,00

Lucro do São Paulo nos jogos como mandante pelo Campeonato Paulista:
1º São Paulo 0x0 Corinthians – R$ 1.489.804,27
2º São Paulo 2×1 Ponte Preta – R$ 358.981,33
3º São Paulo 2×0 Água Santa – R$ 254.380,66
4º São Paulo 1×1 Novorizontino – R$ 116.532,83
5º São Paulo 2×0 Santos – R$ – 47.571,28

Gazeta Esportiva