Após Pato desencantar, Diniz repete estratégia e recupera Pablo no São Paulo

Pablo, enfim, desencantou no São Paulo. O atacante entrou no segundo tempo e definiu o clássico com o Santos ao anotar os dois gols no triunfo por 2 a 1 no sábado (14), pelo Campeonato Paulista.


O desempenho do jogador passa muito pelas mãos do técnico Fernando Diniz. O camisa 9 vinha sendo questionado pelas oportunidades desperdiçadas. Por isso, o comandante entrou em ação e repetiu a estratégia adotada com Pato para recuperar outro pupilo.


“O Pablo está fazendo uma boa temporada. Ele está entre os que mais deram assistência, está jogando bem na maioria dos jogos. É que ele ficou marcado pelos gols perdidos no jogo da altitude [contra o Binacional, pela Libertadores]. Mas está fazendo uma boa temporada, por isso que temos de trabalhar internamente. Temos de falar com o jogador, não desistir, pois no momento certo as coisas acabam acontecendo”, disse Fernando Diniz.


Como as conversas diárias do treinador com o camisa 9 deram o resultado esperado, o jogador passa a ser até mais uma boa opção para brigar por um lugar no ataque. No clássico, o time começou com Antony, Alexandre Pato e Vítor Bueno no sistema ofensivo. Nada impede, porém, que Pablo entre no lugar de um destes jogadores ou que se consolide como uma alternativa para o decorrer das partidas.


Vale destacar que Pato também chegou a ser questionado por causa do jejum de gols. A fase mudou na goleada por 4 a 0 sobre o Oeste, quando ele marcou duas vezes. Na sequência, ele ainda deixou a sua marca contra a Ponte Preta e o Binacional. Vitor Bueno, apesar de ainda não ter feito o seu neste ano, lidera o ranking de assistências do time com quatro passes decisivos. E Antony se destaca pela velocidade e criação de jogadas.


Por causa da pandemia do coronavírus, a rodada da Libertadores foi adiada. O time tricolor, que treinaria neste domingo (15), só retomará as suas atividades na terça (17), no CT da Barra Funda. A equipe tem previsão de voltar a campo para enfrentar o Red Bull Bragantino no sábado (21), no Morumbi, pelo Paulista -o Estadual, no entanto, pode ser suspenso até lá.

Folha de São Paulo

Anúncios

14 comentários

  1. Ah não, ai já é demais! hahaha

    O Diniz deixou o Pato no banco ano passado e cansou de sacar o Pato depois que ele perdia gols, se não me falha a memória fez também com o Pablo contra o Binacional…

    A recuperação dos jogadores é mérito deles, ou então não recuperar o Jucilei é falha do Diniz também? Eu não acho…

    • Penso que a recuperação dos atletas passa não só pelas partidas mas também pelos treinamentos , e nesse caso só o treinador para saber se vale a pena insistir no jogador ou não , pelo que ele vem apresentando nos jogos e muito também por como vem trabalhando fora de campo.

      Antes dessa partida e dos dois gols do Pablo já vinha pedindo que se insistisse com ele , pois a meu ver seria muito melhor insistir com o Pablo que em algum momento já mostrou bom futebol e na sua recuperação , do que investir no Trellez que já sabemos qual o seu potencial.

    • Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa.

      O Diniz recupera os caras em termos emocionais, de auto estima e de confiança, trazendo os caras pro jogo novamente, recuperando nesse sentido.

      Tecnicamente os caras são bons, diferenciados.

      Em termos profissionais, seja na carreira ou no momento vivido no próprio clube, não somente jogadores mais profissionais de quaisquer outras atividades dependem e carecem de gestão de pessoas.

      O caso do Jucilei é uma decisão de encerramento de um ciclo no SP, por desinteresse.

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!