São Paulo voltou a perder neste domingo, em Ribeirão Preto. Passada a derrota para o Botafogo-SP, então lanterna do Campeonato Paulista, por 1 a 0, a equipe comandada pelo técnico Fernando Diniz agora volta seu foco para o duelo com a LDU, pela Libertadores, e, apesar das críticas, Anderson Martins saiu de campo crendo que a formação alternativa do Tricolor poderia ter conquistado a vitória.

“Acho que tivemos um bom primeiro tempo. Infelizmente, no segundo tempo a equipe sentiu a parte física, e o professor teve que desmontar a equipe. Poderíamos ter tido mais sorte e fazer o placar no primeiro tempo. Nas poucas vezes que foram ao nosso gol, eles fizeram. Agora é trabalhar para na quarta-feira voltar a vencer”, afirmou Anderson Martins ao Premiere.

Mas, apesar da fala do zagueiro são-paulino, o que pôde ser visto em campo ao longo dos 90 minutos foi algo completamente diferente. O Tricolor mostrou bastante apatia durante a partida mesmo contando com diversos garotos em busca de um espaço no elenco profissional, fato que agrava ainda mais o resultado sofrido no interior.

Com um banco de reservas composto quase que completamente por jogadores do sub-20, Fernando Diniz preferiu fazer improvisações em alguns setores do que acionar atletas de origem, casos do zagueiro Diego na lateral direita e do meia-atacante Everton na lateral esquerda.

Mas, o que chamou mesmo a atenção da torcida foi a falta de “sangue no olho” dos atletas que não recebem muitas oportunidades em condições normais.  Ao invés de aproveitarem a chance deste domingo, muitos passaram a impressão de estarem conformados com o resultado adverso.

Agora, o São Paulo volta seu foco completamente para o duelo decisivo com a LDU, quarta-feira, pela segunda rodada do Grupo D da Copa Libertadores, no Morumbi.

Após perder para o Binacional na estreia, o Tricolor precisa da uma vitória neste confronto direto pela classificação para não se complicar no torneio continental.

Gazeta Esportiva