Libertadores: Sem Diniz, São Paulo tem sete desfalques garantidos

O São Paulo só estreia na Copa Libertadores da América na próxima quinta-feira, dia 5 de março. Mas o Tricolor já sabe que terá pelo menos sete desfalques para o confronto com o Binacional, no Peru, que está previsto para as 21h30 (de Brasília), com transmissão exclusiva via Facebook.

Quatro desses desfalques já estão fora de combate há mais tempo. Alguns nem sequer conseguiram estrear nesta temporada, como o zagueiro Walce, o meia Gabriel Sara e o atacante Joao Rojas. Os três estão em processo de recuperação de cirurgias e devem demorar para retornar ao elenco.

Sara pode voltar a treinar no fim de março, Rojas em abril e Walce só no segundo semestre. Já o atacante Helinho, que começou o ano como titular e sofreu lesão no tornozelo esquerdo, também está no departamento médico e é esperado para reintegrar o grupo entre o fim de março e o começo de abril. A expectativa — e a lesão — é semelhante para o lateral-esquerdo Léo.

Os demais desfalques do São Paulo para a estreia na Libertadores estão suspensos: os atacantes Everton e Brenner. O primeiro foi expulso já nos minutos finais da vexatória eliminação para o Talleres, ainda na fase preliminar do torneio continental do ano passado. Brenner ainda cumpre suspensão por cartão vermelho recebido no jogo de ida da eliminação para o Colón na Copa Sul-Americana de 2018.

Outro que tem punição pendente com a Conmebol é o próprio Fernando Diniz. O técnico foi expulso em jogo da Sul-Americana do ano passado, ainda pelo Fluminense, mas foi demitido antes de cumprir a pena. Assim, não poderá nem ficar no vestiário em Juliaca, no Peru. O auxiliar Márcio Araújo deve ficar no comando do time.

Para que essa lista de problemas na Libertadores não aumente, o São Paulo corre para recuperar Antony. O garoto de 20 anos sofreu uma entorse no tornozelo no treino de ontem (26) e é dúvida para o duelo com a Ponte Preta neste domingo, pela oitava rodada do Campeonato Paulista, e também para a partida contra o Binacional.

UOL

18 comentários

  1. Nossa que matéria ridícula. Dos sete mostrados só um o Everton que faz tempo virou reserva poderia entrar. Quanto ao treinador, se sua equipe foi bem entrosada não falta.

  2. Eu também não gosto do Pablo na direita! põe o Toro ou outro da base pra fazer fumaça na direita! aproveita o paulista pra dar ritmo de jogo! temos que ter opção pelo setor! o menino já já vai embora!

  3. Jogo muito importante, pois a altitude é complicada, o time adversário desconhecido. Possivelmente, quem perder pontos no Peru pode sofrer para classificar.

  4. Esses jogos na altitude definirão quem vai passar em primeiro e segundo no grupo, então bons resultados serão essenciais!

    O ano começa pra valer no dia 05/03, daí sim teremos um bom parâmetro para avaliar trabalho da comissão técnica.

    Paulista temos totais condições de levantar o caneco, maior chance de título e sair da fila está aí. De resto o que vier é lucro!

    Flamidia, Peppas e talvez o Grêmio vejo a frente do nosso time, River e Boca são adversários complicadíssimos.

    Camisa do Tricolor é pesada e entorta o varal!

  5. Eu daria chance ao Pablo pois ele é bom jogador e precisa jogar para adquirir ritmo e confiança , mesmo processo pelo qual passou o Pato.

    O Pablo sofreu muito com as lesões em seu primeiro ano no clube e isso obviamente lhe tirou ritmo e confiança , porém trata se claramente de um bom jogador e que pode nos ajudar muito nessa temporada.

  6. todo mundo que ja jogou bola na vida, pelo menos uma vez ja teve essa contusao no tornozelo,,, E muito dolorido, demora pra sarar,,,,voce manca uns quinze dias,,mesmo sendo uma lesao tipo 1 , mais leve,, vai ser demorada , por que afeta os ligamentos e precisa de repouso e medicacao..

  7. Tenho muita expectativa no futebol do Gabriel Sara, ele tem um estilo de meia-atacante das antigas, o jeito dele se parece muito ao do Raí.

    Helinho também espero mais dele. Porém, é um jogador que precisa de mais tempo de jogo. Deveriam empresta-lo ao Fortaleza ou ao Cruzeiro.

  8. Os 3 primeiros jogos da libertadores, Binacional(F), LDU(C), River(C), serão vitais para o sucesso ou não na 1º fase, somar os 9 pontos é de extrema importância, contando com fracassos na 4º e 5º rodada, decide a vaga no ultimo jogo contra o pior time Binacional, em teoria, em casa atingindo 12 pontos, mais que necessário, para a continuação no campeonato.

  9. Esse jogo com o Binacional vai ser muito difícil, o time é o atual campeão peruano, derrotou o Alianza Lima na final ganhando por 4×1 em casa, este ano já soma 9 pontos em 12 disputados, faz valer a altitude, só perdeu uma vez em casa no peruano do ano passado e este ano está invicto nos seus domínios, fora de casa o rendimento é bem pior.

    A principal saída para este ano foi do vice artilheiro do campeonato de 2019, Donald Millán com 23 gols, ele foi para o Universitário, a zaga também ficou desfalcada com a saída do zagueiro colombiano Ramón Córdoba, que foi destaque no ano passado, porem o time segurou Rodríguez, atacante de 1,84 m e 25 anos de idade, já fez 4 gols em 4 jogos este ano, garoto bom de bola que junto de Johan Arango (meia armador) e Reimond Manco (ponta direita) são os destaques mais valorizados do time (fonte: transfermarkt).

    Eles mandam seus jogos em um estádio safado, construído em 1946 e com capacidade de 20 mil espectadores, na minha opinião dá pra ganhar mas o empate será um bom resultado por causa da altitude de 3.825 m e das condições do campo, só em termos de comparação, Quito no Equador fica a 2,734 m de altitude e Lá Paz a 3.637 m, ou seja, vai faltar folego.

    Temos que ter calma, sem afobação e correria, vai ser um jogo tático onde será fundamental fechar o meio de campo e controlar a velocidade do adversário, três questões me preocupam, o King na esquerda, a inexperiência do time em jogos na altitude e pontaria dos atacantes, não podemos desperdiçar chances claras de gols, principalmente do primeiro tempo quando vamos ter mais folego.

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!