Liziero, jogador do São Paulo FC, durante treino no CCT da Barra Funda, na Zona Oeste da capital paulista.

Mal começou a temporada e Fernando Diniz já teve algumas baixas importantes no elenco. Além de Helinho, que iniciou o ano como titular, mas acabou sofrendo uma entorse no tornozelo, o comandante tricolor também não vem podendo contar com Léo, que sofreu a mesma lesão de Helinho e ficará entre seis e oito semanas ausente dos gramados.

Léo é o substituto imediato de Reinaldo na lateral esquerda. Sem ele, Fernando Diniz tem de improvisar quando o titular do setor não está apto a atuar ou, por algum motivo, está jogando em outra posição, o que aconteceu na derrota por 2 a 1 para o Santo André, time contra o qual o camisa 6 atuou como zagueiro no segundo tempo.

Com Reinaldo na zaga, foi Everton o escolhido para preencher a lateral esquerda, mas apenas por uma questão de necessidade de gols. Buscando a vitória, Fernando Diniz ousou apostando no meia-atacante como ala, mas, em situações normais de jogo, a tendência é que Liziero seja o escolhido para atuar na vaga de Reinaldo.

Liziero atuou por diversas vezes como lateral-esquerdo em seus tempos de categorias de base. Com Cuca, o volante chegou até mesmo a jogar como ponta esquerda e, nessa posição, ajudou o São Paulo a quebrar um incômodo tabu: o de vencer o Athletico-PR em plena Arena da Baixada, algo que jamais havia acontecido desde a inauguração do estádio do Furacão.

No jogo-treino contra o time sub-17, na última segunda-feira, Liziero atuou como lateral-esquerdo, dando espaço para Luan, Igor Gomes e Shaylon formar o trio de meio-campo. Embora Fernando Diniz não cogite tirar Reinaldo, um dos líderes do elenco, do time titular, certamente ele vem refletindo há tempo qual das opções é a melhor para substituir o camisa 6 do São Paulo.

Gazeta Esportiva

Anúncios