“5 pontos já ficaram para trás, esperamos que a arbitragem não erre mais”

Vitor Bueno tem motivos para ficar um pouco mais tranquilo antes do confronto com o Oeste, marcado para o próximo sábado, às 16h30 (de Brasília), na Arena Barueri. Raphael Claus foi escalado pela Federação Paulista de Futebol para apitar a partida, e, com a presença de um dos principais juízes do futebol brasileiro, a expectativa é que, enfim, o São Paulo deixe de reclamar da arbitragem, o que vem acontecendo há três rodadas.

“A tendência é não errar, não amenizar [os erros]. É claro que não voltam, mas foram no mínimo cinco pontos que ficaram para trás. Poderíamos estar em uma situação mais confortável. Tomara que ele [Raphael Claus] entre para não erra mais. Enfim, é um árbitro experiente e um dos melhores que temos no País. Que ele possa ser justo, que é o que queremos”, afirmou Vitor Bueno.

Somente nas últimas três rodadas do Campeonato Paulista, o São Paulo reclamou de gols mal anulados, um gol impedido marcado pelo rival e validado pela arbitragem, além de pênaltis não marcados nas partidas contra o Novorizontino e Corinthians. A interferência dos juízes nas partidas fez com que o Tricolor deixasse a zona de classificação ao mata-mata do Campeonato Paulista e Fernando Diniz começasse a conviver com uma incômoda pressão por resultados.

“O objetivo é classificar quando acabar a primeira fase. Claro que não queríamos estar fora, temos o mesmo número de pontos que os dois primeiros, mas o objetivo principal é se classificar quando acabar a primeira fase”, prosseguiu.É bem verdade que, apesar dos erros da arbitragem, o São Paulo também vem pecando na hora de concluir a gol. Mesmo com as lambanças dos juízes, o time criou diversas oportunidades de balançar as redes nas últimas rodadas, mas falhou em todas elas.

“Não é falta de sorte. A sorte tem muito a ver com o trabalho. Uma hora a rede vai voltar a balançar, os pontos vão vir, e a tranquilidade e confiança vão aumentar ainda mais”, finalizou Vitor Bueno, principal garçom do São Paulo em 2020, com três assistências.

Gazeta Esportiva

6 comentários

  1. O que adianta escalar arbitro experiente em jogo do SPFC contra pequenos, se nos Clássicos, a “Dona” lá, manda escalar os manezinhos ruins de apito, é muito diferente.

  2. Apesar dos erros da arbitragem, nosso futebol não deveria deixar para “eles” resolver os jogos.

    Devido à diferença entre elencos, nomes, valores e camisas, quando enfrentamos clubes, elencos e times “pequenos” , o placar poderia ser imposto de forma definitiva.

    Contra o Agua Santa, foi um placar magro

    Contra a Ferroviária, era nítido que tomariamos gol a qualquer momento.

    Contra o Novorizontino com 7 reservas, o juiz comandou o placar …, quando deveríamos determinar o jogo.

    Nos clássicos, todo resultado é possível. .., apesar de que não vencemos fora de casa.

    Contra o Santo André …, show de erros.

    Não é a arbitragem que não deixa o Diniz exercer toda sua “qualidade” e “competência “.

  3. Vejo muita reclamação encima de um treinador e pouca em cima dos jogadores que há muito tempo são frouxos e não entra com sangue nos olhos durante as competições. O São Paulo e um verdadeiro SPA para os jogadores onde nao há pressão para cima desses mercenários que não tem gana para colocar foto de campeão na parede. Vergonha em clássicos já faz quase uma década. Até onde vamos parar…?

    • É isto mesmo, só vejo esta Benevolência da Diretoria com jogador, apenas no SPFC, nos outros Clubes, os caras tem que ralar, senão o Bicho pega, o Resort SPAFC 2020, ainda aceita reservas.

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!