São Paulo repete qualidades e principal defeito de times de Fernando Diniz

O São Paulo do técnico Fernando Diniz mantém os defeitos e acertos da carreira do atual treinador do time do Morumbi. Desde que começou a se destacar no futebol pelo Audax-SP, os times de Diniz demonstram muita qualidade: sai jogando com a bola desde o goleiro com bastante qualidade, domina a posse de bola, joga de forma “vertical” sempre buscando o gol e cria muitas finalizações. No entanto, o time de Diniz carrega um estigma de pecar nas finalizações.

Fernando Diniz, aliás, perdeu a final de Campeonato Paulista de 2016 por conta disso. Na decisão contra o Santos, o Audax criou muitas jogadas de gol, na Vila Belmiro, mas perdeu muitos gols, e viu Ricardo Oliveira decidir o título para o alvinegro praiano com vitória por 1 a 0.

Na ocasião, o Audax finalizou 11 vezes ao gol e dominou a posse de bola: 68% contra apenas 32% do Santos. No fim, os santistas foram campeões. O São Paulo de hoje também carrega o mesmo defeito ao pecar nas finalizações. No empate sem gols contra o Corinthians, o Tricolor criou oportunidades de gol, mas a falta de precisão para chutar a gol prejudicou o time mais uma vez.

“A gente precisa vencer o jogo, e para vencer precisa fazer gol. Eu não atribuo a um elemento ou outro. Temos que melhor coletivamente. A bola vai passar a entrar. Estamos criando, temos que insistir. Você está fazendo bastante coisa certa, mas o final, que é o gol, estamos errando. Mas não é deixando de fazer muita coisa certa que vamos ganhar os jogos. Na maior parte do jogo fomos dominantes”, afirmou Diniz após o clássico.

No Campeonato Paulista deste ano, o São Paulo teve maior posse de bola do que o adversário em todos os jogos, segundo estatísticas do Footstats. Contra o Santo André, por exemplo, o time de Fernando Diniz terminou o jogo com 72% de posse de bola e finalizou 22 vezes, a maioria delas erradas. Foram 12 acertos e dez erros. O resultado final do jogo mantém o estigma na carreira do treinador: vitória do time do ABC paulista por 2 a 1.

Veja posse de bola e finalizações do SP no Paulistão:

São Paulo 0 x 0 Corinthians

Posse: 51% Finalizações: 16 (6 certas e 10 erradas) 413 passes (375 certos e 38 errados)

Santo André 2 x 1 São Paulo

Posse: 72% Finalizações: 22 (10 certas e 12 erradas) 629 passes (590 certos e 39 errados)

São Paulo 1 x 1 Novorizontino

Posse: 69% Finalizações: 26 (6 certas e 20 erradas) 530 passes (486 certos e 44 errados)

Ferroviária 1 x 2 São Paulo

Posse: 59% Finalizações: 16 (11 certas e 5 erradas) 488 passes (463 certos e 25 errados)

Palmeiras 0 x 0 São Paulo

Posse: 52% Finalizações: 17 (5 certas e 12 erradas) 452 passes (418 certos e 34 errados)

São Paulo 2 x 0 Água Santa

Posse: 64% Finalizações: 19 (7 certas e 12 erradas) 662 passes (627 certos e 35 errados)

UOL

Anúncios

16 comentários

  1. Tenho até receio de lembrar.

    Pathético e Florminense à beira do rebaixamento.

    Poucas virtudes e muitos defeitos.

    #Ajuda aí Diniz.

    O “pior ataque da história de todos os tempos do SPFC” precisa de alternativas.

    • Eu era dinizista e assitia os jogos do fluminense no estadual, a Libertadores e o nacional são equipes fortes e ninguem e mais bobo no futebol, o remedio pro futebol que ele aplica e sabido por todos.

    • Nem Tele conseguia entrosar em pouco tempo.

      Em 1979 Palmeiras treinado por Tele voava no Paulista e destroçava seus adversários. Foi para final contra os travecos. Ganharia com certeza.
      Vicente Mateus espertamente melou o campeonato fazendo com que a final fosse pro ano seguinte, fevereiro de 1980.
      Em início de temporada time do Tele não voava como no final do ano anterior e perdeu título aos travecos.

  2. Erros e mais erros da arbitragem, Pato, Vitor Bueno, Reinaldo errando gols cara a cara e mesmo assim vem com a #ajudaDiniz. Se não fosse esses erros de arbitragem e esses gols ridículos que os caras perdem de frente ao gol, hj com certeza todos estariam muitíssimos satisfeito com o time, com o volume de jogo, a proposta de jogo, hj temos um padrão que a muito tempo não tínhamos.

  3. O encantador de serpentes deixou o gremio com time reserva passar o sp ano passado. Por pouco o sp não fica com a vaga direta na libertadores. Esse ano parece q teve um esquecimento coletivo e o Diniz q até então era questionado passou a ser endeusado sem sequer ganhar um clássico contra os rivais com técnico novo, filosofia nova, jogadores novos e etc. o exagero e tanto q tem torcedor q chega a comparar o Diniz com tele santana. Vamos ver aonde isso vai dar…

    • Mostrei com fatos de início de temporada que é o fator de comparação. Acompanhei Tele. Vi os jogos do clubes dele e da seleção.

      Vi quando perdeu de 3 a 0 em início de temporada na libertadores que ganhou.

      Começo de ano é instável para qualquer clube e treinador. Se tem base de ano anterior sofre menos.

      Vi os times do Cilinho desde o início.

      Nenhum deles voava em início de temporada.

      Barcelona e Real Madrid foram goleados pelo tricolor em início de temporada deles e meio de temporada nosso.

  4. Tele tinha história antes de vir para o São Paulo. Por pior q fosse a fama dele de azarado, era um técnico já consagrado. Quando vejo alguém comparando o Diniz com o tele me vem à cabeça comparar o conhecimento de um estudante com um professor universitário. Se pegar a carreira do Diniz não tem resultado pratico, só tem resultado teórico e ainda assim e endeusado.

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!