Diniz comenta sobre “democracia tática do futebol”; veja

Após o assalto contra o Corinthians, Diniz comentou sobre um assunto que chamou atenção, “democracia tática do futebol”, veja:

“Para mim, claramente, está mudando isso. Ano passado tínhamos o Jesus, Sampaoli, eu também gosto de jogar assim. O futebol tem que jogar do jeito que o treinador tem o domínio. Se o treinador tem o domínio de jogar defensivamente… o futebol é sempre democrático nesse sentido. Às vezes você tem que tomar risco. Se você não está dentro da norma vigente, e você faz diferente, fica mais exposto.”

Blog do São Paulo

10 comentários

  1. Acho que um time pode ser ofensivo, mas sem ter a defesa exposta. Contra o Santo André tivemos o Arboleda e o Bruno Alves partindo para o campo de ataque, enquanto o Daniel Alves fazia cobertura. O Daniel Alves diminuiria o risco e daria maior qualidade técnica pra conseguir algo a mais. Os bons números estatísticos as vezes podem esconder a organização tática; o treinador sempre tem que extrair o melhor do atleta, na posição que ele rende melhor.

  2. Fiquei extremamente curioso.

    Em função da minha idade, conheci a “Democracia Corinthiana” no contexto da redemocratização do país e das “Diretas já”.

    Mas Democracia tática …, “tem que jogar do jeito que o treinador tem o dominio”, parece que nega o princioio democrático e mesmo o “coletivo” no futebol.

    Quanto mais o Diniz fala, menos faz-se entender.

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!