passaro

A diretoria do São Paulo esclareceu uma série de assuntos neste início de temporada, incluindo como o clube irá arcar com os altos custos de Daniel Alves. Tendo de pagar parcelas periódicas maiores ao jogador, além do seu salário mensal, o Tricolor garante que não depende de parceiros para honrar com seus compromissos.

“Isso não é exclusividade do Daniel Alves. É natural que o jogador receba um salário por mês e que ao longo da temporada ele receba algumas parcelas maiores que acertam o nível do que foi combinado. Isso não é só uma forma de jogar para frente. O Vitor Bueno, que assinou agora, o Pablo, esses valores são feitos sempre em setembro, porque, se por acaso, ele for vendido na janela, a gente evita de pagar esse valor mais para frente”, afirmou Alexandre Pássaro, gerente de futebol são-paulino.

Contratado em agosto, Daniel Alves se dispôs a receber um salário bastante inferior ao seu patamar em 2019 para não comprometer o fluxo de caixa do São Paulo. Ficou acordado que a partir de 2020 ele passaria a ter vencimentos maiores, além de parcelas que completariam o montante anual que lhe foi prometido. O mesmo acontece com Juanfran e Alexandre Pato.

Contratado em agosto, Daniel Alves se dispôs a receber um salário bastante inferior ao seu patamar em 2019 para não comprometer o fluxo de caixa do São Paulo. Ficou acordado que a partir de 2020 ele passaria a ter vencimentos maiores, além de parcelas que completariam o montante anual que lhe foi prometido. O mesmo acontece com Juanfran e Alexandre Pato.

“Quando assinamos contrato longo com ele, não é para conseguir todos os parceiros nos primeiros seis meses de contrato. Isso pode acontecer ao longo do contrato. Com a proximidade da Copa do Mundo, o mercado estará mais aquecido. Tenho certeza que as oportunidades irão aparecer em breve”, concluiu o gerente de futebol do Tricolor.

Aos 36 anos, Daniel Alves possui contrato até dezembro de 2022, ano da Copa do Mundo do Catar, principal objetivo do lateral-direito nesta reta final de carreira. Depois de ter de abrir mão do Mundial da Rússia devido a uma lesão, o Good Crazy apostou no São Paulo para manter o alto nível e, quem sabe, garantir um lugar entre os 23 convocados para defender o Brasil no Catar.

FOX