O São Paulo deve fazer com que o garoto Diego, capitão da conquista da Copa São Paulo de 2019, integre o elenco profissional ao longo de todo o Campeonato Paulista. O jogador de 20 anos agrada ao técnico Fernando Diniz e é visto como uma solução imediata diante da ausência de Walce no início do Estadual por estar com a seleção brasileira olímpica. Além disso, o zagueiro pode ser vendido ao Red Bull Bragantino.

Diego pode jogar como volante, posição que tem mais concorrentes, mas também atuou em boa parte do tempo na base como zagueiro. Foi assim, inclusive, que ele estreou pelo profissional contra o CSA, na última rodada do Campeonato Brasileiro do ano passado. Diniz o treinou na função várias vezes e admira sua capacidade para sair jogando, além do bom jogo aéreo.

Sem poder mais jogar pelos times de base, Diego saiu de férias sem a certeza de que ficaria entre os profissionais, mas seus representantes já foram avisados de que a permanência é iminente. Os jogadores se apresentam no CT da Barra Funda nesta quarta-feira (8) e Diego está convocado. Depois, o grupo que será utilizado por Diniz no Paulistão e na Copa Libertadores da América seguirá para Cotia.

Para o Campeonato Brasileiro, diretoria e comissão técnica podem mudar os planos para Diego, de acordo com a evolução dele entre os profissionais ou com a chegada de eventuais reforços. Para este início de ano, a ideia é não gastar com contratações e Diego cumpre algumas expectativas para que isso seja possível: custa pouco, está adaptado ao clube, é versátil e mais maduro do que a maioria dos garotos.

Outros jovens que estouraram o limite para jogar na base, por exemplo, não devem ficar. É o caso do volante Rafael, que renovou com o Tricolor antes de ser emprestado ao Cuiabá até o fim do Campeonato Mato-Grossense.

UOL