Lugano: Tentativa de utilizar uruguaio mais ativo na linha de frente do futebol em 2020 surtirá efeito?

A manutenção de Raí como diretor de futebol, definida nessa sexta-feira, não significa que o São Paulo não terá mudanças no departamento para 2020. Na reunião que confirmou a renovação do ídolo, o presidente Leco deu a ele a missão de fazer algumas alterações na estrutura física e pessoal do CT da Barra Funda, sendo que uma delas tem a ver com a função exercida por Diego Lugano.

​A ideia é que o ex-zagueiro participe mais do dia a dia e das decisões do futebol. Ele é superintendente de relações institucionais do Tricolor desde janeiro de 2018 e não tem (ou não tinha) como principal atribuição o time de futebol, embora tenha entrada no vestiário e esteja muito frequentemente no CT da Barra Funda e no Morumbi. O próprio Lugano já declarou que mantém certo distanciamento dos jogadores pela dificuldade de enxergá-los como subordinados e não mais como colegas de time.

O trabalho de Lugano, até hoje, foi mais focado em relacionamento com outros clubes e pessoas do futebol. Ele foi um dos idealizadores, por exemplo, da Legends Cup, competição de ex-jogadores que acontecerá no Morumbi em 15 de dezembro e reunirá nomes históricos de São Paulo, Bayern de Munique, Borussia Dortmund e Barcelona.

​Alguns movimentos do São Paulo, no entanto, tiveram participação direta do uruguaio nos últimos anos, casos das contratações de Diego Aguirre e Gonzalo Carneiro, em 2018, e de Juanfran e Daniel Alves, em 2019. Mas ele nem sempre foi consultado. A demissão de Aguirre, por exemplo, foi definida sem a sua anuência. Isso, em tese, não voltará a acontecer.

Há uma pressão grande sobre Leco para que o São Paulo reformule o CT da Barra Funda, com modernização de equipamentos e troca de profissionais em algumas áreas. O presidente espera que isso seja tocado por Raí, com auxílio de Lugano.

Lance!

Anúncios

9 comentários

  1. Raí com sua fala mansa não preciona ninguém,o vestiário necessita de alguém que fale grosso com esses caras e ninguém melhor que o Lugano ( talvez o Muricy) pra executar esse papel.

  2. Se ele não souber dosar a cobrança ele vai perder o vestiário. Não adianta ser bravão. Seria fácil resolver o problema se fosse só isso. Já teve muito cara agressivo que caiu pra segunda divisão por aí.
    Tomara que de tudo certo.

  3. Lugano foi um oásis de competência nesse deserto diretivo atual. Pra mim foi uma grata surpresa esse desempenho positivo tanto como o livre trânsito e reconhecimento no mundo futebolístico sul americano. O clube ganhou um embaixador de respeito que elevou em muito a margem desgastada do tricolor.
    Seria a figura perfeita para administrar vestuário, chacoalhar os sonâmbulos, peitar chinelinhos e laranjas podres mas um enorme desperdicio perdê-lo a médio prazo já que é um cargo de desgaste, com prazo de validade quase definido. Já chega catapultar Jardine, o multicampeão da base, o “promovendo” pra depois jogá-lo à cova dos leões.

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!