“Esse São Paulo em 2 meses é o que mais tem a minha cara” diz Diniz

Após a acachapante derrota contra o Grêmio, Diniz deu entrevista e falou sobre o time ter sua cara e sobre as criações de jogadas:

“Acho que o São Paulo tem a minha cara em muitos jogos. No Audax, Fluminense ou Athlético-PR com dois meses, o São Paulo em dois meses é o que mais tem minha cara. Sobre criar não é o fator que está absoluto também. Contra o Vasco criamos para fazer dois, três ou quatro. Hoje concordo. Alguns jogos aconteceu. Tem oscilado bastante. Hoje criamos pouco e não fizemos gol. Contra o Vasco criamos muito mais do que só o 1 a 0”

Blog do São Paulo

Anúncios

52 comentários

  1. Nisso estou de pleno acordo com ele, o time é a cara dele mesmo

    inoperante, ineficiente, apático, uma verdadeira enceradeira coletiva em campo, o time toca, toca, toca e não tem profundidade, vc não consegue entender qual é a estratégia do time, igual ele nas entrevistas

  2. Análise de treinadores no mercado, empregados e desempregados:
    (Esqueci alguém na lista?)

    Renato Gaúcho (Grêmio) — Parece que vai continuar por lá. Nossa única chance de trazê-lo seria se ele quisesse mudar de ares e, mesmo assim, custando um caminhão de dinheiro.

    Zé Ricardo (Inter) — Fica livre no final do campeonato. Péssimo.

    Jorge Sampaoli (SFC) — Por tudo o que reclamou da direção do SFC, parece pouco provável que aceite vir para o SPFC, que sofre dos mesmos males. Além disso, SEP está disparado na frente, se quiser trazê-lo. Improvável, para não dizer impossível.

    Thiago Nunes (SCCP) — Acabou de assinar com SCCP. Inatingível, no momento.

    Vágner Mancini (Atl. – MG) — Fora de cogitação.

    Adilson Baptista (Cruzeiro) — Outro que deve ser chutado no final do ano. Nem o Leco seria tão imbecil a ponto de apostar nele.

    Jorge Jesus (Fla) — Inatingível.

    Luxemburgo — Se alguém no SPFC considera seriamente a possibilidade de trazê-lo, a hora é agora. Já fui terminantemente contra, mas a fase atual do SPFC me deixou tão fora de prumo que nem sei mais o que pensar sobre o ‘pofexô’.

    Roger Machado (Bahia) — Não vejo nada de mais nele. Se vier, não dura seis meses.

    Ney Franco (Goiás) — Fez campanha acima das expectativas no time goiano. Leco gosta de puxar da cartola alguns nomes do passado, vide Ricardo Gomes.

    Abel Braga (desempregado) — Independentemente de ser bom ou ruim, já recusou o SPFC por três vezes, sendo a última recentemente, preferindo assumir o Cruzeiro. Parece não gostar do SPFC, Por mim, não deve sequer ser cogitado. Nem de graça.

    Mano Menezes (desempregado) — Apesar dos problemas que teve na SEP, é um nome tipo ‘meio do caminho’, destinado a um trabalho de meio de tabela, nem para cair, nem para ser campeão de nada.

    Fábio Carille (desempregado) — A temporada atual deixou claro que ele é muito menos do que se imaginava. Surfou na herança de Tite e depois, quando precisou ser ele mesmo, não teve repertório. Deve enganar em mais algum clube grande ano que vem e depois terá uma trajetória descendente em times médios do Brasil, antes de desaparecer do mercado.

    Felipão (desempregado) — Ver Felipão no SPFC seria tão esquisito quanto teria sido esquisito ver Telê Santana no Corinthians.

    Oswaldo de Oliveira (desempregado) — Aposentado. Só precisam avisá-lo disso.

    Paulo Roberto Falcão — O sonho de consumo do Leco é ver o Falcão de terno à beira do gramado, com p punho apoiando o queixo e aquele ar de lorde pensativo.

    Dunga — Para quem já resuscitou o Fluminense no campeonato e quase ressuscitou o Cruzeiro, trazer o Dunga de volta é moleza!

    Osorio (Atlético Nacional-COL) — Já veio para cá e se lascou. Difícil acreditar que cometeria novamente o mesmo erro.

    Diego Aguirre — Idem Osorio.

    Eduardo Coudet (Racing-ARG) — Acertado com o Inter. Já era.

    Marcello Gallardo (River Plate-ARG) — Sonho de uma noite de verão. Parece destinado à Europa, onde treinadores argentinos se dão bem. Além disso, basta o Leco botar a mão no telefone para ligar para ele e o Palmeiras chegará antes com um caminhão de dinheiro.

    Argel (Ceará) — Não é opção para o SPFC, por enquanto. Mas, se insistirem com Fernando Diniz em 2020, talvez precisemos pensar nele para o segundo semestre para tirar o time do buraco em caráter emergencial.

    Lisca Doido — Idem Argel.

    Antônio Carlos (Bragantino) — Eu sei, eu sei, seria mais uma aposta. Mas, se pensarmos em uma temporada 2020 sem pretensão de títulos e tendo de negociar destaques do elenco para sanear o caixa, é um nome a ser considerado. Aceitaria trabalhar com o que tem, tem colhões suficientes para não deixar jogador mandar nele e conhece o mercado de times menores, podendo trazer alguns atletas baratos e que honrem a camisa.

    Rogério Ceni (Fortaleza) — Propositalmente deixei o M1TO para o fim da lista. Reparem que ele está seguindo uma trajetória semelhante à do Muricy Ramalho. Ceni assumiu o SPFC ainda imaturo na carreira (Muricy substituiu Parreira na mesma situação); agora RC está fazendo história no Fortaleza (assim como MR é tratado como deus no Náutico-PE). Agora, RC parece destinado a assumir algum time grande do Sul (Athletico-PR???), assim como Muricy fez com o Inter-RS. Ao sair do Inter, Muricy ainda deu um título ao à época emergente São Caetano (RC no Red Bull Bragantino no futuro ???), antes de se consagrar definitivamente em sua volta ao SPFC. Tenho a convicção de que RC ainda deve rodar por aí mais uns dois anos e depois será o cara que devolverá o SPFC às glórias, talvez em 2021 ou 2022.

    • Discordo de você em alguns pontos, um deles sobre o abel(não que eu o queira) mas acho que essa recusa antes do Cruzeiro não é real não, o que foi noticiado na mídia e que hernanes e Daniel Alves “exigiram” o Fernando Diniz, então acho muito improvável que tenha havido qualquer proposta por ele, agora as outras vezes que recusou não sei o por que, agora o Roger Machado e o Ney Franco eu acho bons técnicos, não pro nível do São Paulo, mas são bons técnicos pro nível dos brasileiros

    • Eu apostaria no Ariel Holan, experiente, não custa caro e fez ótima campanha no Independiente. Se for pra sonhar com algo maior tentaria Carlos Queiroz ou Tata Martino.

          • Sim, tata martino também, e exatamente isso que to dizendo não dá pra julgar o cara só por que no Barcelona não deu certo isso não faz dele mal técnico, como não fez no sampaoli ruim por ir na na seleção , e que meio que meu comentário foi concordando com o seu haha

  3. As falas do Diniz nesta última coletiva foram primorosas, já sabemos que é isso aí que ele quer do time, e já disse que daqui 8 meses o São Paulo estará jogando melhor que o Fluminense. Alguém minimamente são dá um chute na canela do Leco, manda esse camarada acordar e demitir logo esse aprendiz de treinador. Vá fazer estágio em outro lugar.

  4. Quanto mais eu leio essas noticias com essas declarações desse projeto inacabado de tecnico perdedor eu fico com mais raiva dele, esse cara nao pode continuar ano que vem, se o lero lero fizer isso é a maior afronta contra a torcida que ele pode fazer, inaceitavel

    • Nunca gostei da forma que o diniz faz seu time jogar, é um futebol ofensivo que não se resulta em ofensividade, seus times as vezes tem um lampejo de bom futebol, mas tirando isso nada de mais, e um projeto Alemanha2014, mas a Alemanha pra chegar jogando daquele jeito implantou esse sistema nos garotos desde o sub-12 e ficou 10 anos com aquela geração pra chegar naquele nível

  5. Sério que entrevista coletiva dele está sendo picotada e colocada sem contexto nenhum em 3 matérias diferentes aqui no Blog?

    Queria entender qual é o objetivo de malhar o técnico do time na véspera do jogo mais importante da temporada…a culpa é toda do cara da noite pro dia?

    Todo mundo aqui já comprou seu ingresso pra apoiar o time amanhã? Ou vamos ficar só urubuzando aqui pra depois criticar em caso de derrota?

    Não dá pra entender!

    • Não amigo, infelizmente não moro em São Paulo e nem perto de São Paulo pra poder ir no estádio sempre que puder, agora sobre esse pseudo técnico, estamos fazendo o que qualquer torcedor de qualquer clube faz, enxerga que o cara não é o certo pro seu time e sonha sempre com o melhor possível, e o Fernando diniz não é nem de longe a melhor opção pro pior time do campeonato, imagina pra um gigante mundial como o nosso

    • Exato.

      Se é para dominar o adversário com toque de bola, então que seja efetivo. E não essa posse de bola de toques para o lado, para trás, para o outro lado, para trás de novo, para o lado de novo, volta para trás, para o lado novamente, perde a bola e toma o gol.

      Se for para ficar nisso aí, prefiro uma bela retranca, com contra-ataque rápido e mortal e ganhar fora de casa de 1 a 0.

      Deixa o tiki-taka para depois que o SPFC sair da fila de títulos, a confiança voltar, as finanças estiverem em ordem e os grandes jogadores quiserem vir para cá novamente.

      Do jeito que está hoje, sou muito mais um Antônio Carlos (Bragantino) fechando tudo lá atrás, saindo para o contra-ataque na boa e jantando com azeite o fígado dos come-dorme do elenco.

  6. Cara de velório. Todo jogo é uma tristeza sem fim. Mudem o nome para Funeral Futebol Clube porque o futebol desse time veio a óbito e já foi enterrado pelo Leco e seu bando há muito tempo.

  7. Infelizmente oque dizem é verdade , os técnicos brasileiros são ultrapassados e limitados , surge uma coisa um pouco difefente ja acreditam que é a super revolução, eu até questionei esses dias , o flamengo do Jorge Jesus que faz coisas que todo treinador deveria fazer , pra mim ele faz o basico do conceitos modernos , ponto pra ele porque faz bem , o flamengo e isso tudo ou os demais times é que estão muito abaixo, pois os treinadores brasileiros levaram o maior tempo para aprender a jogar contra o flamengo , bem diferente do que vemos no futebol sul-americano, o flamengo pode ter vencido mais o River do galhardo anulou a forma de jogar do flamengo, o flamengo passiou encima dos times brasileiros, os recursos que o JJ usa aqui contra os times brasileiros , subir a defesa , marcar no campo do adversário, puxar o Arão e usar os alas na armação de jogo , jogadas de velocidade da dupla de ataque, nada disso funcionou contra o river , o river anulou os alas do flamengo que foram obrigados a ficar na defesa , vi o felipe luis desse uma vez pro ataque e nada mais , anulou a saida de bola com Arão, a zaga não consiguiu subir ficou marcando atrás, marcou Gabriel e Henrrique no corpo , tirou a velocidade dos 2 principal jogada , o primeiro tempo do river foi perfeito pena eles ter cansado e entra o Pratto que passou a prender bola e matar as jogadas de ataque porque o flamengo estava entregue.

    Oque eu estou querendo dizer , o Diniz foi novidade la atrás, hoje todo mundo sabe o jeito que ele joga , todo mundo sabe marcar o Diniz , ate porque oque eu cobro dele , ele não evoluiu , o Jorge Jusus ainda tem alternativas, ousadia , conseguiu salvar um jogo perdido sabendo ver o jogo , e soube atacar onde era possível e da forma que era possível , o Diniz não muda , se pegar esses tecnicos sul-americano vai tomar um pau , aqui no brasil ja é manjado , o Diniz não consegue mudar uma partida o time dele joga de um jeito so previsível , aqui no brasil pode funcionar pelo nivel baixo mais contra tecnicos melhores e dominado.

  8. Serei polêmico.

    Já aguentamos tanto técnico ruim que nunca ganhou nada e só nos fez passar vergonha.

    Aposta por aposta, prefiro apostar no Luxemburgo, que é um super vencedor e sempre quis treinar o SPFC.

    • Falo isso a alguns anos, luxa com a cabeça focada e sem grandes poderes externos e excelente tecnico, não pensaria duas vezes em dar uma oportunidade a ele, ainda mais depois do que fez com o time do Vasco

      • Considerando que já esgotados quase todas as possibilidades, Luxemburgo poderia, sim, ser opção.

        Já fui contra a vinda dele no passado. Mas isso foi na época do JJ, quando o retorno das glórias parecia ima questão de pouco tempo.

        Depois do tsunami Leco, qualquer restrição que eu tenha ao Luxemburgo ainda é quase irrelevante perto do pau de galinheiro que virou o clube.

  9. Opções boas para o ano que vem temos e muita, falta competência para executar.
    Dada as proporções do Palmeiras fechar com o Sampaoli, e o Inter com o Coudet.
    No lugar do Diniz: Osório, Ariel Holan, Jorge Almirón, Miguel Ángel Ramirez.

    Lugar do Raí: Paulo Autuori, Muricy Ramalho, Tiago Scuro, Juninho Paulista, Luiz Cunha.

  10. Tem um técnico grande, que deve ser acessível, com liderança e bons trabalhos: Marcelino Toral,. Saiu recentemente do Valência por ter brigado com o dono do Clube. Grande treinador espanhol!

  11. De 2003 a 2009 nosso sistema de jogo era com 3 zagueiros, ganhamos tudo, porque tínhamos uma sequência de trabalho independente do técnico que estivesse no comando. Assim aconteceu com o Corinthians e o Chile. De lá pra cá vários treinadores passaram por aqui, cada um com uma filosofia diferente, o resultado foi o fracasso que nós estamos vendo, demissões e reformulações a cada seis meses. Qualquer que seja o estilo proposto, defensivo ou ofensivo, a diretoria deveria escolher uma filosofia de trabalho, contratar um técnico que se adeque à ela e montar o elenco em cima disso, contratações futuras, seja de técnico ou jogadores devem ser baseadas no estilo de jogo do time.

  12. O grande problema é que ninguém quer realmente arrumar a casa.
    Quer fazer a coisa certa?
    Luiz Cunha + Muricy na direção do clube. O Luiz é um cara muito tricolor, trabalhador, honesto.
    Para terminar coloque um técnico que chega para mandar, com respaldo, não para ser mandado. Não adianta, tem de existir hierarquia.
    Leco, pede o chapéu e vaza. Raí, melhor 10 que o SP teve, mas seja embaixador do time, qualquer coisa, mas não tem como ser diretor e ser bonzinho com esses caras.
    Precisa treinar fundamentos, ninguém no clube enxerga isso? Isso deve ser muito feito desde a base, vide antigamente Tele/ Cafu…
    Acreditar em um sistema de jogo, ensinar os jogadores de Cotia como aplicar, assim chegam no time fazendo o que fazer.
    Reduz o preço do Sócio Torcedor, da a cara a tapa, puxa a torcida de volta

  13. O São Paulo do Fernando Diniz é um dos piores dos últimos anos. Isto mostra que ele mesmo sabe que é um treinador (?) de segundo escalão.

  14. Impressionante como no São Paulo todos parecem viver em um universo paralelo,Leco se diz injustiçado, Raí diz que o trabalho está sendo bem executado e agora o FD dizendo que o time tem a sua cara(e tem mesmo,só que não da maneira que ele acha)perdendo 3 jogos em casa e duas sapecadas de 3 a 0 pra adversários diretos. Ou isso ou estão se drogando.

  15. Se tem um momento pra dar uma virada seria com o Luxemburgo! Por tudo que ele fez agora com o casquinho! Time limitado! Sei lá! Precisa de liderança com experiência! Que na verdade o boleiro respeita!

  16. Vou falar uma coisa . Sempre fui contra o luxa, mas se tivesse o poder de ser consultado e tivesse que escolher entre ele e o diniz, preferiria ter contratado ele.
    Tendo em vista tantas apostas ruins que tivemos, hoje vejo o nome dele como aceitável.
    O que a galera precisa entender dentro do são Paulo é o seguinte: técnico se troca antes da pre temporada, se possível ao fim do ano anterior. E a substituição tem que ser logica: quando acontece no decorrer de um campeonato, nao adianta demitir um técnico ofensivo e contratar um estrangeiro, ou vice versa. Não se perde o Osório e contrata o Doriva. Não se demite o cuca e contrata o Fernando diniz

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!