Após ‘semana desastrosa’, Diniz tem números piores que os de Cuca no BR

As derrotas em casa para Fluminense (2 a 0) e Athletico-PR (1 a 0), além de fazerem o São Paulo sair do G4 e se distanciar dele, tornaram os números de Fernando Diniz no Brasileirão piores que os de Cuca, seu antecessor.

Diniz acumula cinco vitórias, dois empates e quatro derrotas em 11 partidas, com aproveitamento de 51,5% dos pontos. Cuca teve 55,5% em 21 rodadas (nove vitórias, oito empates e as mesmas quatro derrotas). Se computados os jogos por Paulistão e Copa do Brasil, o aproveitamento de Cuca cai para 47,4% (nove vitórias, dez empates e sete derrotas).

– Foi uma semana desastrosa. Também estamos cobrando entre nós, sabemos que podemos dar muito mais. Não podemos nunca aceitar que o São Paulo, nessa situação, tenha duas derrotas dessas dentro de casa. Nunca o São Paulo vai poder aceitar isso. Esse inconformismo a gente tem que mostrar, claro, com trabalho no dia a dia, entre nós, com cobrança. Como está havendo da torcida, tem cobrança aqui dentro também. Felizmente ainda estamos na quinta colocação. Por sorte e alguns resultados, não por nossos méritos, pelo menos nessa semana. Mas a gente sabe que o trabalho está sendo bem feito, que tem muita consistência, muita filosofia de trabalho e que o resultado vai vir e tem que vir rápido – disse o diretor de futebol Raí.

Fernando Diniz assumiu a equipe em sexto lugar, a três pontos do último integrante do G4 e a 13 pontos do líder. O Tricolor, que chegou a retomar a quarta colocação sob o comando dele, hoje está em quinto, com quatro pontos a menos que o Grêmio (quarto colocado) e 25 pontos atrás do líder Flamengo.

Com Diniz, o São Paulo reduziu bastante seu aproveitamento como visitante: era de 56,7% com Cuca (cinco vitórias, dois empates e três derrotas) e passou a ser de 33,3% com o atual treinador (uma vitória, dois empates e duas derrotas).

Já o índice como mandante melhorou com Diniz, embora ele já tenha perdido mais jogos em casa do que Cuca. O antecessor somou 54,5% dos pontos (quatro vitórias, seis empates e uma derrota), enquanto o atual comandante tem aproveitamento de 66,6% (quatro vitórias e duas derrotas).

O desempenho da defesa, que segue sendo a melhor do Brasileirão com 23 gols sofridos, está bem parecido. Com Cuca, foram 15 gols sofridos em 21 jogos no Brasileirão (média de 0,71). Com Diniz, são oito gols sofridos em 11 partidas (média de 0,72).

Já o ataque, que já não era bom, ficou ainda pior. São nove gols nos 11 jogos com Diniz (0,8 por jogo) contra 23 gols em 21 jogos com Cuca (1,09 gol por jogo).

Com seu treinador já sob pressão, uma vez que o objetivo final do ano era conquistar uma vaga no G4, o São Paulo tem um desafio complicado pela frente: visita o Santos às 17h de sábado na Vila Belmiro.

Lance!

Anúncios

13 comentários

  1. Maior conquista do São Paulo no ano: ser o único time que não perdeu pro Flamengo no Brasileirão 2019.
    De todos os outros times eles ganharam ao menos uma vez.
    É o tipo de coisa que são paulino pode comemorar hoje dia, na pequenez que virou o time.

  2. Contrata um técnico Amador e sem expressão e quer resultados diferentes…esse time na mão do Sampaoli estaria brigando pelo título, basta ver o trabalho que esta fazendo com o Santos com um elenco bem inferior.,

  3. Tchau Diniz, números bizarros em times da serie A. São Paulo ganhou fora de casa do Athletico PR e Fluminense do Diniz e esses mesmos times ganharam do São do Diniz no Morumbi. Técnico limitado, pior ataque entre todos os times da série A no ano, 12º ataque do brasileiro. Conseguiu desestabilizar a zaga, os jogadores não estão gostando de jogar à noite, sair do Morumbi quase 1h da manhã e já treinar no outro dia as 08:30, ou quando o jogo é fora de casa eles treinam no dia seguinte na academia do hotel.
    Lunático ou não, eu prefiro Luxemburgo.

  4. O Flamengo de hoje lembra o São Paulo do JASON…se eles não fizerem besteira e manter esse ritmo,eles tem tudo pra fazer muita história,sem oba oba,sempre focado,com toda a certeza vai ser um time histórico…quanto ao Vasco parabéns,mostrou que quando jogador que ele joga mesmo sendo limitado…quanto ao Diniz todos nós ja sabíamos que ele não era pro nivel do São Paulo,mas como não mandamos em nada e nem somos respeitados esta aí a maravilha de administração que temos…E que venha o Luxa pra balançar esse bando de come e dormi…

  5. Em um clássico quando o nível técnico é desigual só uma tática bem montada e a garra dos atletas consegue igualar forças. Parabéns para os jogadores do Vasco que, diferente dos jogadores do SPFC, não são frouxos e bunda-moles.

    Tem uma diferença brutal pra moral do clube você empatar fazendo 4 gols ao invés de empatar não fazendo nenhum e se retrancando igual time pequeno.

  6. Vamos brincar de fantasia, um pouco:

    Se eu fosse eleito presidente do SPFC, minha primeira medida seria montar uma equipe de notáveis, com contrato de consultoria de 3 meses para avaliar toda a estrutura e métodos do departamento médico, físico e fisiológico.

    Essa equipe de notáveis poderia incluir gente como Carlinhos Neves, Turíbio, Rosan, entre outros.

    Ao final dos 3 meses eles entregaram um relatório de diagnóstico com tudo que precisa ser mudado ou mantido, o que poderia implicar em grande reestruturação.

    No campo técnico, logo após a posse, faria um convite a todos os ex-treinadores que passaram pelo clube nos últimos 15 anos para participarem de uma reunião a portas fechadas (com celulares deixados na entrada, para não vazar nada), onde todos esses técnicos colocariam suas experiências no SPFC, quais problemas encontraram, fatores que impactaram no trabalho, interferências que sofreram, etc.

    Além dos técnicos, essa reunião teria somente a participação do presidente e diretor de futebol.

    Ao final dessa reunião, surgiria uma lista de situações comuns que se repetem no clube e que seriam adotadas ações para evitar.

    A partir dessa reunião teríamos uma exata noção de tudo o que vem minando o clube.

  7. Vendo o jogo do Flamengo e Vasco, que intensidade, velocidade de ambos os lados, ninguém pensando em se defender. O Vasco foi pra cima de peito aberto e encarou de igual para igual. Impressionante como paramos no tempo, não temos tática, não temos preparo físico, não temos intensidade, só aquele futebol de toque de lado. Com todos os problemas de dinheiro, corte de luz, água o Vasco hoje é muito mais time que o nosso, triste realidade, paramos no tempo em 2008, a soberba tomou conta da nossa instituição. Sobre técnicos, eu sempre fui fã do Luxa, foi o que mais se aproximou do estilo de jogo do mestre Tele, e ao meu ver, com um time muito inferior colocou o português JJ para correr, mas uma coisa tenho que admitir, esse português fez bem ao futebol brasileiro, agora todos querem copia-lo, ao contrário de antes que todos queriam imitar o Tite.

  8. Se com o Cuca que era um técnico rodado e com um currículo melhor que o Diniz estava ruim e não deu jeito no time, não é um técnico mais inexperiente que dará um jeito.

    Querendo ou não técnico precisa ter currículo para os jogadores respeitarem senão montam em cima.

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!