Derrota freia euforia com SPFC de Diniz

No domingo, vitória com imposição no clássico; na quarta-feira, derrota por 1 a 0 em jogo apático contra o Cruzeiro. O São Paulo viveu nos últimos dias a oscilação natural de um começo de trabalho, mas a atuação rende críticas até a Daniel Alves e esfria a empolgação pelo modelo de jogo proposto por Fernando Diniz.

O São Paulo mal criou chances no Mineirão e só finalizou duas vezes a gol. Teve até bastante posse de bola (60%), mas de modo geral não soube como furar a defesa cruzeirense. A lentidão pouco lembrou o domínio que o Tricolor teve sobre o Corinthians, no último domingo (13).

Diniz e o trabalho que só aparece aos poucos

O técnico assumiu o São Paulo em condições delicadas: na reta final da temporada e depois de um treinador com ideias de jogo opostas. Daí que a adaptação do elenco ao modelo de Fernando Diniz leva tempo, e por enquanto aparece apenas em doses homeopáticas: um jogo bom aqui, um time sem ideias ali… No Mineirão o Tricolor não soube se ajustar à partida do Cruzeiro, o que obriga a comissão técnica a trabalhar repertório para a sequência do ano.

Antony irrita por segurar demais a bola

O atacante foi um dos piores em campo por errar quase todas as tomadas de decisão – quando acertou o que fazer, pecou na execução. Ele foi muito acionado no lado direito, mas não conseguiu criar espaço para se aproximar do gol, fosse em lances individuais ou em passes para dentro da área. Faltou encarar a marcação com mais vigor, e alguns torcedores perderam a paciência.

Daniel Alves não rende como na seleção

O São Paulo fez até um esquema especial para contar com seu camisa 10 no Mineirão, mas Daniel Alves fez jogo muito abaixo de seu nível. Ele foi quem mais participou do jogo pelo lado tricolor, mas praticamente não criou chances e errou passes demais (perdeu a posse de bola 21 vezes). Em que pese o desgaste dos amistosos da seleção brasileira em Cingapura, Dani Alves não ficou alheio às críticas da torcida.

Reinaldo vira desfalque para domingo

O lateral levou cartão amarelo na derrota para o Cruzeiro, por isso foi suspenso e virou baixa para o duelo contra o Avaí, às 16 horas (de Brasília) deste domingo (20), na 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. Outros seis são-paulinos continuam pendurados: Anderson Martins, Luan, Liziero, Tchê Tchê, Igor Gomes e Pablo.

UOL

Anúncios

8 comentários

  1. Concordo.

    Hoje o São Paulo não tem condições de ocupar o G6.

    Tem que fazer muita força para isso e mesmo assim não vejo mérito nenhum neste time.

    O Diniz é bem intencionado e esforçado, mas não dura para 2020.

    Acreditem – o São Paulo vai começar o ano com técnico novo.

  2. Alguém com saco roxo (difícil encontrar alguém assim no São Paulo) tinha que chegar no Daniel Alves e falar umas verdades, entre algumas essas:

    – Ele não é o dono do time. Voltou de 11 horas de fuso? Não vai jogar. Não treinou? Não vai jogar… Acabou. Simples.
    – Não vai conseguir chegar na Copa de 2022. Esquece. Honre o clube que paga o seu gordo salário. Se quer ficar indo pra seleção pra resenhar com a porra do Neymar e do Tite, pede dispensa do São Paulo e vá trabalhar na comissão técnica da seleção. Pelo menos poupa o São Paulo de gastar milhões.
    – Falando em milhões, já que ele se acha um “jogador barato”, que comece a jogar mais bola, e a falar menos.
    – Na coletiva de apresentação disse que iria jogar aonde o São Paulo precisasse. Depois veio falar que prefere jogar no meio. Novamente, é simples: vai jogar aonde o treinador mandar jogar e acabou.

    Pro Juanfran, apenas o terceiro “item”: Que jogue mais e fale menos.

    Pro Hernanes, esse também vale… Mas como já foi ídolo no passado, merece respeito. Tá sentindo falta dos filhos que ficaram na Itália? Totalmente compreensível. Mas da mesma forma, que poupe o SPFC de gastar milhões por mês com ele, sendo que não aguenta nem 60 minutos por jogo (culpa também da preparação física pífia do clube). Aposenta e vai morar na Itália pra ficar perto dos filhos. Caso se importasse com o SPFC, teria ficado após ter ajudado a salvar o clube do rebaixamento em 2017. Não teria sido difícil o clube comprá-lo à época… O que dificultou foi o Hernanes não abir mão do salário milionário que ganhava na China.

    Resumindo, que esses 3 coloquem a mão na consciência e entendam que eles precisam justificar seus salários exorbitantes. Obviamente vale pro Sr. Alexandre Pato também, outro que ganha muito pra não jogar porra nenhuma.

    Desculpem o desabafo…

  3. Eu tinha dito quando vencemos o clássico:
    O time não tem profundidade e só da passes laterais. A famosa posse de bola que não serve pra nada.

  4. Hernanes…grande jogador…ídolo…mas está velho e cansado, não pode ser titular absoluto! Dani Alves, não é meia! Juan Fran, ótimo jogador, mas para determinadas partidas!

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!