Fernando Diniz guardou no armário do vestiário seu espírito renovador e entrou no Maracanã pisando em ovos, ao escalar todos os seus medalhões no meio de campo, num claro 4-4-2.

Já Jorge Jesus não pôde oferecer-nos aqueles fios de ovos deliciosos criados pelas freiras portuguesas a partir do século XVI porque faltou-lhe um ingrediente básico: o meia Gérson, termômetro do meio de campo, aquele garoto que marca, arma e ataca com rara ciência e que bota pra funcionar o ataque arrasador do Mengo até agora. Isso, sem contar os dois laterais titulares – Rafinha e Filipe Luís.

Resultado: o primeiro tempo foi uma briga atroz pela posse da bola, inútil tanto pra Flamengo como para o São Paulo., embora o líder fosse mais vezes incisivo.

Bem que Jesus tentou, no segundo tempo, recompor seu Flamengo com as entradas progressivas de Gérson, Rafinha e Filipe Luís, o que injetou mais neurônios no meio de campo e energia no ataque. Mas, o Tricolor estava disposto a não dar vexame, e resistiu até o fim, graças a, pelo menos, duas defesas providenciais de Volpi.

Assim, o Palmeiras ganhou fôlego pra se aproximar do líder perigosamente, caso vença seu jogo deste domingo contra o Inter, no Beira-Rio, o que não será fácil, mas bem possível pelos rumos que Mano está dando a esse time.

Alberto Helena Jr