O empresário Alexandre Soares Rollin cobra do São Paulo R$ 1 milhão referentes a 20% dos direitos econômicos de Leo Pelé, lateral-esquerdo do elenco profissional. Rollin era representante da empresa Coulery S.A., sediada no Uruguai, com quem o São Paulo assinou contrato em 10 de janeiro deste ano reconhecendo os direitos e se comprometendo a fazer os pagamentos. Esse acordo é assinado pelo executivo de futebol Raí e pelo presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. A Coulery, em maio deste ano, transferiu o crédito para a empresa pessoal de Alexandre Rollin. Sem receber os pagamentos, previstos em cinco parcelas – quatro já vencidas – o empresário procurou e notificou o São Paulo.

O clube se defendeu alegando que tanto a Coulery S. A. como a empresa pessoal de Rollin não teriam provado estar legalmente constituídas. Por isso, o pagamento geraria contestação nos órgãos fiscalizadores do clube, conselho deliberativo, conselho de administração e conselho fiscal. A De Primeira encontrou registros comerciais das duas empresas no Brasil e no Uruguai. Rollin ocupa atualmente também a função de coordenador de marketing da Liga Futsal.

UOL