Entenda por que Bruno Alves trocou de lado com Arboleda no São Paulo

Os clubes brasileiros não esconderam que usariam a pausa para a Copa América para fazer pequenos ou grandes ajustes em suas formações. E não foi diferente no São Paulo, que além de buscar o equilíbrio físico dos jogadores, sofreu mudanças sutis na equipe titular, sendo uma delas no posicionamento dos zagueiros titulares, nem tanto por motivos defensivos, mas pela possibilidade de melhorar a qualidade da bola que sai de trás.

O torcedor mais atento deve ter notado, no clássico contra o Palmeiras, no dia 13 de julho, que Arboleda e Bruno Alves trocaram de lado na zaga tricolor. Bruno, que atuava pelo lado esquerdo, foi deslocado para a direita, e o equatoriano, que se posicionava pelo lado direito, foi para a esquerda. Alteração promovida pela comissão técnica pensando ofensivamente, já que o setor tem se destacado nas funções defensivas nesta temporada.

Vale lembrar que atualmente o lateral-direito do Tricolor é Hudson, um volante improvisado que, apesar de não estar comprometendo, não tem os cacoetes de um lateral de ofício. Normalmente o jogo passa muito pelo jogador da posição, que tende a iniciar as saídas de trás, algo que qualquer atleta fora de suas funções naturais teria dificuldade. Dessa forma, houve a necessidade de reforçar o lado direito com alguma peça que tenha melhor condição no passe.

E o escolhido foi Bruno Alves, zagueiro que se destaca pela facilidade na troca de passes e mais familiaridade com a bola no pé do que Arboleda. Segundo as estatísticas do Footstats no Brasileirão-2019, Alves é jogador titular de linha com o mais alto percentual de acerto no passe. Foram 290 passes tentados e 277 acertos, 95,5% de precisão. Além disso, o camisa 3 tem números de excelência nos desarmes: 12 tentados e 12 certos, precisão 100%.

Assim, Hudson tem o auxílio na saída de bola e o desafogo, quando a marcação apertar. Além de Tchê Tchê, que joga por aquele lado e sempre busca o jogo para sair de trás. No lado esquerdo, Reinaldo, lateral de origem, tem a transição em velocidade e já funciona como um escape por si só, mesmo que Arboleda tenha mais dificuldade com a bola nos pés. Na visão da comissão técnica, essa nova configuração da zaga ajuda no equilíbrio do time titular.

A mudança permanece para o duelo desta segunda-feira, contra a Chapecoense, às 20h, no Morumbi, pela 11ª rodada do Brasileirão-2019. Durante a última semana, Cuca realizou treinamentos contra o sub-19 do clube com Bruno Alves pela direita e Arboleda pelo lado esquerdo. Oportunidade para o são-paulino avaliar se a alteração tem o efeito esperado.

Lance!

Anúncios

11 comentários

  1. Nossa , que nó tático do Cuca e comissão técnica ..acho que seria uma boa o Volpi de centroavante…esperanças assim não dá !!

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!