Após anunciar a conclusão da instalação dos dois novos telões no Morumbi, o São Paulo divulgou, nesta quinta-feira, novas imagens das reformas em seu estádio. A casa do Tricolor abrigará, nesta sexta, a estreia do Brasil na Copa América – partida a ser disputada às 21h30 (horário de Brasília), contra a Bolívia.

“O estádio do Morumbi é e sempre será um motivo de enorme orgulho para o são-paulino e cabe a nós fazermos os ajustes necessários para que ele continue oferecendo o máximo de conforto e segurança aos torcedores. Promovemos uma série de melhorias importantes para garantir que a experiência do são-paulino seja sempre a melhor possível e tenho segurança em dizer que nossa casa está em sintonia com o que há de mais moderno em termos de arenas”, falou o presidente Leco.

Além destas obras, a infraestrutura geral do Morumbi também passou por melhorias. Banheiros foram construídos e reformados; a acessibilidade da parte interna também foi aprimorada; por fim, a rede grátis de wi-fi passou a comportar até 30 mil acessos simultâneos sem perda de banda de internet.

“O torcedor muitas vezes acaba só percebendo as grandes obras, como os telões e os refletores, mas essas intervenções menos perceptíveis são tão ou até mais importantes para melhorar o conforto de todos no estádio. Vamos continuar trabalhando para que vir ao Morumbi seja sempre um programa agradável para nossos torcedores”, ponderou o Diretor Executivo de Infraestrutura, Eduardo Rebouças.

Os novos telões do Morumbi têm 20,16 metros de largura por 7,68 metros de altura e pesam 24 toneladas cada. Além disso, a resolução da imagem é de 2016 x 768 pixels, prometendo imagem de qualidade apesar da distância das arquibancadas para a estrutura.

A parte interna também passou por modernizações. Os vestiários foram ampliados (de 110 para 200 metros quadrados), um novo túnel de acesso ao gramado foi construído e os refletores aumentaram em mais de três vezes a capacidade de iluminação do estádio.

Histórico

O Morumbi recebe, enfim, uma abertura de Copa. Mas para quem com o jogo inaugural do Mundial de 2014, no Brasil, a realidade apresenta apenas o início de uma Copa América, cinco anos depois. A partida das 21h30 de hoje, entre a seleção brasileira e a Bolívia, é quase um prêmio de consolação para o São Paulo, que viu seus rivais construírem modernas arenas e agora tenta revitalizar seu histórico estádio.

Para receber o jogo de hoje e outros dois ao longo da Copa América – Colômbia x Qatar e Chile x Japão -, o Morumbi passou por uma série de melhorias nos últimos meses. Os vestiários foram totalmente reformulados. Saíram as apertadas e simples salas para dar lugar a espaços mais amplos, com mais estrutura para a preparação dos atletas e idênticos aos das novas arenas. Um túnel de acesso unificado e maior, com teto retrátil, também foi construído.

O sistema de iluminação foi todo trocado, com a entrada de refletores de LED com potência maior do que o mínimo exigido pela Fifa. Nas arquibancadas laterais, a novidade fica por conta de dois enormes telões, também de qualidade maior do que o padrão. O São Paulo fechou acordo rentável com a Imply, que produziu, instalou e vai fazer a manutenção dos equipamentos em troca de publicidade. O jogo de abertura entre Brasil e Bolívia será o primeiro com o uso dos telões, além dos testes feitos nas últimas semanas.

Há ainda, porém, uma defasagem em relação à Arena Corinthians, outra sede da capital paulista. A zona mista inaugurada em 2017 no Morumbi será usada pela Conmebol para a Copa América, mas o restante do espaço, que costuma servir de base para o trabalho da imprensa, e a sala de coletivas não terão a função original. Foi preciso montar tendas no estacionamento do portão principal para uma nova área de coletivas e o centro de mídia.

Ontem, a seleção brasileira treinou no Morumbi, já todo envelopado com a identidade visual da Copa América. As placas de patrocinadores foram tampadas, bem como os banners com frases de apoio ao São Paulo e as de indicação de cada portão de acesso. O escudo do clube ficou exposto.

UOL

Anúncios