Por vários anos, eu lamentei ter essas pausas de Copa do Mundo e Copa América. Por muito tempo, achei péssimo ter Olimpíadas e estes eventos que interrompiam o futebol nacional.

Hoje, pela primeira vez em muito tempo, eu estou aliviado pra cacete que vai paralisar.

O amor pelo São Paulo é imenso, é gigante. Mas o prazer por ver esse futebol ridículo, saber que os gestores estão destruindo o clube, está me consumindo.

Se percebermos bem, o momento mais feliz do sãopaulino, são as janelas de contratações e os períodos sem jogos. É quando renovamos esperanças, paramos de tomar porrada em campo e sofremos menos, sentimos saudade do time em campo.

Torcemos por reforços, acompanhamos jogo treino e aumentando a expectativa. Acompanhamos o futebol de fora, imaginamos como seria se fosse o São Paulo e que bom seria se nós começassemos a jogar bem e retomassemos o time, o coletivo, a alegria para jogar.

Mas daí, lembramos que só temos o Brasileirão, que temos o Leco, o Pássaro, o Raí e essa galera sempre se dedica muito para vender e na hora de comprar é esse martírio…

Assim, surgem peças inúteis como Willian Farias e Biro Biro que são afrontas para a inteligência do torcedor. Raí mente e ludibria dizendo que o elenco está voando, que Bruno Peres está recuperado e voará como fez no início do ano, que Jucilei seria um pilar, Diego Souza e Nenê seriam fundamentais etc. E o que vimos?

Terra arrasada…

Ainda temos notícia de mais empréstimos, dívidas aumentando, brigas e fofocas, pedidos de mudanças na gestão em que ninguém sai e todo mundo lá dentro continua ganhando muito e o clube se destroçando.

Ao menos, Rojas, Pablo, Everton, Hernanes, Pato, Liziero, Luan se recuperarão fisicamente, volta de Antony, possíveis reforços, isso tudo poderá ajudar. Cuca terá seu tempo de treino, ajuste de elenco e fará suas dispensas.

É triste demais, mas paramos para a Copa América e é um alívio. Ficar feliz com a pausa é quase desespero, mas continuar nesse ritmo onde chegaríamos?

Ainda dá para afundar mais?

Deus nos ajude…

Alexandre Zanquetta